por | 16 Mai, 2024 | Dar voz aos livros, Opinião

Sacrifício, Liberdade e Memória da Revolução dos Cravos

No ano em que se comemora os cinquenta anos da Revolução dos Cravos importa mergulhar no passado para compreender o presente. A literatura corporiza essa capacidade, através de uma lente única capaz de entrelaçar o relato histórico com o da ficção, empoderando-nos, enquanto leitores, nessa interpretação do acontecido e do que está acontecendo. É essa a proposta de dois romances de Lídia Jorge que aqui trazemos, O Dia dos Prodígios (1980) e Os Memoráveis (2014).

Entre um livro e o outro, momentos maiores da arte da ficção de Lídia Jorge num longo espaço cronológico, entendemos ser possível abrir um arco que estabelece uma ponte capaz de apresentar a trajetória realizada pela pátria portuguesa na conquista de um espaço de liberdade, onde esta, bem como a palavra sacrifício se erguem como candeias iluminadoras, capazes de nos fazer viajar entre tempos fundamentais para esclarecer de que modo se processou a construção do país que somos.

É também nas palavras da escritora que confirmamos esta ideia de articulação ou imbricação entre os dois romances: «tenho ideia que o desafio de escrever sobre o presente tal como surge, desamparado no ar, é uma demanda que me diz respeito. Foi assim, no fundo, que o último romance que publiquei acabaria por ser, por assim dizer, uma resposta ao primeiro. Os Memoráveis é uma resposta ao Dia dos Prodígios» Lídia Jorge).

Na obra ficcional de Lídia Jorge, subjaz uma inquietação artística associada, de forma evidente, ao compromisso da escritora no seu papel de testemunha da Revolução dos Cravos em Portugal. Para a autora, observar o espaço onde lhe coube nascer e viver, não dispensa o papel essencial da metáfora como campo de travessia entre espaços polarizadores de tensão e de uma inquietude permanente – traço dominante e definidor de um compromisso e responsabilidade ética da sua escrita.

O mergulho fundo neste Portugal desarrumado que, cinco décadas depois, procura ainda autodefinir-se coletiva e ontologicamente, opera-se em várias das suas obras através de uma sempre renovada urgência de dizer. Faz-se linha de força a interpretação de um Portugal sacrificial e crístico – analogia submersa no cordeiro que ficou escondido dentro da terrina, no meio da mesa, na ceia memorável no restaurante Memories, a corporizar o povo português «ao mesmo tempo vítima sofredora e complacente com o seu carrasco» (Os Memoráveis, p.147).

A capacidade de nos olharmos de frente as nossas fragilidades, sem medo do que fomos, do que somos e do que sabemos ainda ser urgente conquistar, é a única porta para respeitarmos a liberdade conquistada nesse passado 25 de abril de 74.

Conceição Brandão

Professora

Comentários

Submeter Comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Artigos recentes

Quem são @s influencers lousadenses?

VENDEM PRODUTOS E SUGESTÕES A MILHARES DE PESSOAS Por “querer estar na moda” ou por insegurança e...

GINT: Uma história de crescimento, inovação e responsabilidade social

Desde a sua fundação em 1997, a Grecogeste-Trading de Produtos e Serviços S.A., do Grupo GINT, tem...

Programa Municipal de Caminhadas

No dia 15 de junho, sábado, realiza-se a Caminhada da Primavera, organizada pela Associação de...

Dia Municipal da Biodiversidade celebrado no Parque Urbano Dr. Mário Fonseca

Dia 21 de junho celebra-se o Dia Municipal da Biodiversidade. Desde 2017 que esta data é celebrada...

Inscrições abertas para o Banco de Voluntariado

O Banco de Voluntariado encontra-se em funcionamento desde 2006 e pretende garantir e promover a...

Orçamento Participativo Jovem tem candidaturas abertas até sexta-feira

Estão abertas as candidaturas para o Orçamento Participativo Jovem (OPJ), até dia 14, próxima...

Alunos de Lousada venceram concurso DXC Code Challenge

A equipa da EB da Boavista – Silvares, constituída por Letícia Teixeira Sousa e Luís Gonçalves...

Lousada CoWorking está em funcionamento

A funcionar no Parque Urbano Dr. Mário Fonseca, o espaço Lousada Coworking regista já procura....

Talentos da Fruta já têm pratos vencedores

O Município de Lousada promoveu uma nova edição do concurso “Talentos da fruta”, na passada...

Município cria Prémio de Investigação Dr. Mário Fonseca

O Município criou o “Prémio Dr. Mário Fonseca” em homenagem ao médico Lousadense, conhecido como...

Siga-nos nas redes sociais