por | 26 Abr, 2020 | Opinião, Sociedade

Inquérito de rua sobre o 25 de abril – Rui Mota
  1. O que significa para si o 25 de Abril?
  2. Como vê a polémica que se gerou este ano acerca das comemorações?
  3. Como vê o país social e político no futuro?

1) Quando se deu o 25 de Abril, encontrava-me no Norte de Angola, no cumprimento do serviço militar obrigatório. Tomei conhecimento através da rádio do Congo afeta ao MPLA. Para mim foi uma satisfação e uma alegria (considerando a vontade e luta de um familiar muito próximo), mas penso que para a maioria dos militares foi uma agradável surpresa, até porque era considerado terminar a guerra colonial. Já estávamos com a comissão terminada. Familiarmente, quando regressei em Junho de 74, foi uma agradável surpresa, pelo facto de esse meu familiar, que normalmente andava sisudo, ter um aspeto mais brilhante e sorridente. Dizia eu que tinha rejuvenescido. Para mim o 25 de Abril, como as plantas que florescem na primavera, floriu para todos os portugueses, abrindo a liberdade, o progresso económico e social e criando melhores condições para todos.

2) Penso que toda esta polémica não tem qualquer razão de ser, as comemorações deveriam realizar-se, dentro das regras definidas pela DGS. Algumas pessoas, com a sua maneira de ser e de estar, gostam de criar estas situações, esperando tirar algum proveito, o que normalmente não acontece. Isto é o normal, devemos respeitar as opiniões, é esta liberdade que o 25 de abril nos permite.

3) O futuro, após esta pandemia, entendo que politicamente, pouca diferença haverá, exceto na visão dos principais interesses do País e dos portugueses, é o meu desejo.
No que respeita ao País social, espero e desejo que alguns setores sejam tratados de um forma diferente e mais eficaz, designadamente no que respeita À SAÚDE, À EDUCAÇÃO, AO APOIO DOS IDOSOS E SETOR SOCIAL, apesar dos constrangimentos económicos que surgirão.

Comentários

Submeter Comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Artigos recentes

A  memória e a literatura

Há uns tempos e a propósito de um Colóquio Internacional em que participei na Sorbonne, em Paris,...

“Fecharam-nos muitas portas, mas temos tudo controlado”

COMISSÃO DE FESTAS DO SENHOR DOS AFLITOS 2024 Em janeiro deste ano, Paulo Magalhães, Daniel Pires...

Cartaz de arromba nas festas de Lustosa

SÃO TIAGO É COMEMORADO DE 25 A 28 DESTE MÊS A comissão de festas de Lustosa é formada por mais de...

Festas Grandes em honra do Senhor dos Aflitos

A Vila já está iluminada lembrando as Festas Grandes, que têm um dos grandes momentos na...

Lousada no pódio europeu de árvores plantadas em Portugal

O Município de Lousada ocupa o primeiro lugar nacional, ao abrigo da iniciativa europeia da...

Votações para o OPJ até dia 8 de agosto

Até dia 8 de agosto estão em votação as 12 propostas apresentadas no âmbito do Orçamento...

Ações de sensibilização com a Liga Portuguesa Contra o Cancro

O Município de Lousada associou-se à Liga Portuguesa Contra o Cancro – Núcleo Regional do Norte,...

NÍVEL ELEVADO NO SUPERCROSS EM LUSTOSA

As grandes emoções do Supercross estiveram em Lustosa (Lousada), numa noite memorável. A pista do...

Quarteto Metralha animam festas e romarias

LOUSADA TEM CADA VEZ MAIS GRUPOS DE BOMBOS Os bombos são uma tradição bem portuguesa e em Lousada...

Verónica Parente apresenta a exposição “Horizontes de Cores” no Cais Cultural de Caíde de Rei

O Cais Cultural de Caíde de Rei acolherá a exposição "Horizontes de Cores", da artista Verónica...

Siga-nos nas redes sociais