por | 26 Set, 2022 | Opinião, Pedro Amaral

Costa, o homem do leme que só navega a ver a Costa

Pedro Amaral

Desde a última vez que escrevi para o leitor, Portugal e o mundo entraram num turbilhão.

No Leste, as forças ucranianas, numa extraordinária demonstração de táctica militar ocidental, conseguiram reconquistar importantes regiões do seu território. Enquanto, simultaneamente, o mundo perdeu uma figura internacional incontornável dos Séc. XX e XXI e despede-se emotiva e de forma quase universal de Isabel II.

Em Portugal Marta Temido, que havia persistido estoicamente na pasta da saúde durante crises, pandemia e problemas estruturais e mediáticos, caiu na sequência de uma morte infeliz, mas, aparentemente inevitável sob o ponto de vista médico. Sucede-lhe Pizarro que, ao contrário da antecessora, vem da máquina e para máquina do PS e provavelmente não afrontará Costa, que é coisa que lhe convém.

O fim da época balnear, porque ao Governo não lhe convém deixar de ir a banhos, trouxe finalmente Costa e o seu aguardado “pacotão” de medidas de apoio às famílias e às empresas.

Mas desengane-se quem considerar que Costa, na sua infinita benevolência fiscal e social está a dar alguma coisa a alguém.

Em termos muitos simples, caro leitor, a inflação é, neste momento, a melhor amiga do Governo. Produtos mais caros significam mais impostos para os cofres do Estado, ou seja, levamos por tabela duas vezes, pagamos mais ao produtor e pagamos mais a Costa.

Até os 125€ que a grande maioria dos portugueses vai receber no próximo mês de Outubro são, como aliás quase todas as restantes medidas, uma forma disfarçada de Costa recuperar uma percentagem daquilo que nos dá. Quando quem receber o cheque o for gastar, devolverá aos cofres do Estado, dependendo da taxa de IVA dos produtos que compre, 6% (7,5€), 13% (16,25€) ou 23% (28,75). Quanto a mim caro leitor, que não gosto de andar a toque de caixa dos truques socialistas, vou poupar o cheque de Costa, e guardar também essas percentagens de IVA.

Por sua vez, as empresas, mais habituadas a folhas de cálculo e à matemática, rapidamente perceberam que o “pacotão” de apoio às empresas não passava de um pacote de medidas de incentivo ao endividamento.

O que nos vale, na boa tradição marítima portuguesa, temos um timoneiro como Costa ao leme. Pode não estar habituado a arriscar a navegação em mar alto, mas é o melhor entre os seus pares a desviar-se, junto à costa, das pedras que lhe vão aparecendo.

Bastou a contestação das empresas e a baixa do IRC começou imediatamente a ser ponderada para o Orçamento do Estado de 2023.

O Presidente da República já deixou os seus avisos, resta saber se o Governo os ouviu. Infelizmente creio que o Governo só ouve mesmo o barulho das ondas a bater na Costa.

Pedro Amaral escreve segundo a antiga ortografia.

Comentários

Submeter Comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Artigos recentes

Firmino Mendonça, o cafeteiro mais antigo

O cinquentenário Café Paládio é uma espécie de instituição comercial em Lousada e tem Firmino...

Intercâmbio cultural na Croácia

Um artista multifacetado e aventureiro, assim se pode definir o lousadense José Pedro Moreira, de...

Inglesa procura as suas origens em Lousada

CHAMA-SE ELIZABETH NATASHA LOUSADA Por várias razões (afetivas, existencialistas ou simplesmente...

Clube de Ténis de Mesa de Lousada

Esta edição possui o prazer de apresentar o emocionante mundo do ténis de mesa aos olhos de Rui...

Centros de Interpretação da Rota do Românico com entrada livre

Nos próximos dias 22, 23 e 24 de setembro, o ingresso nos Centros de Interpretação do Românico e...

Artur Faria demite-se da Caixa Agrícola

Artur Faria, Presidente do Conselho de Administração da Caixa de Crédito Agrícola Mútuo de Terras...

Município integra projeto 2030 Youth Vision

"Queres construir um mundo mais justo e sustentável?" é a designação da iniciativa que vai ser...

Era uma vez uma praça do Românico (parte II)

Construtor contesta anulação da obra No seguimento da reportagem publicada na nossa edição...

AGRADECIMENTO

MARIA LUISA PAULA PEREIRA DE BESSA MACHADO (22 de Agosto 1947 a 11 de Setembro 2023) A família...

Apresentação do 6.º volume da Revista Lucanus

O 6.º volume da Revista Lucanus - Ambiente e Sociedade vai ser apresentado no dia 21 de setembro,...

Siga-nos nas redes sociais