Associação Recreativa e Cultural de Pias prepara voos mais altos

Samuel Correia, além de ser o presidente da Comissão de Festas em honra de Nossa senhora do Avelar, também é o líder da Associação Recreativa e Cultural de Pias (ARC Pias), tendo tomado posse em novembro do ano passado.

A sua ligação à Associação começou num momento feliz, que lhe mudou a vida: “Esta associação para mim é especial, pois na primeira vez que vim ver aqui um jogo de futebol, ainda o campo era em terra, jogava o Pias contra a equipa do Aveleda, localidade onde residia na altura. Acabei por ficar cá, simpatizei e criei raízes, pois foi aqui que conheci a minha esposa, a Susana Marina. Eu vim como apoiante do Aveleda e, como o velho ditado diz, vim ver a bola e acabei por ficar”, conta-nos, com satisfação.

A ARC Pias nasceu em 1981, por iniciativa de um grupo de amigos e já teve inúmeras atividades, destacando-se na área cultural e desportiva, com as danças de salão, o teatro e o futebol de cinco.

O desafio da presidência aconteceu com naturalidade: “Pelos motivos que referi, esta é uma associação que honro e de que gosto muito. Já estive noutras direções anteriormente, já fui vogal e secretário. Nestes últimos dois mandatos, estava completamente desligado, mas continuei sempre a dar o meu apoio. Agora surgiu este desafio, lançado pela antiga direção, que continua comigo. Eu assumi a presidência, mas não é fácil gerir uma associação. Temos apoios camarários, mas são valores baixos, pois não temos equipas federadas, por isso não temos seguros, entre outros subsídios”.

Quando questionado sobre o atual momento da coletividade, Samuel refere que estão muito “parados” e que são vários os projetos com os quais pretende avançar, realçando no teatro as parcerias que a Associação tem atualmente, com as quais o espaço ganha vida: “Temos o auditório ali em baixo com cerca de cem lugares. Neste momento, temos um protocolo. De forma a que o espaço não fosse morrendo, fizemos uma parceria como teatro Vidas em Cena, que organizou um festival de artes, o PI’Artes, que foi um sucesso, com casa cheia várias vezes. Assim, esse espaço não morre. Além deste auditório, temos um bar e um salão de jogos, que está à exploração. Do outro lado, também está à exploração, entregue a uma academia de estudo, onde estão diariamente para cima de cem crianças”.

Requalificação do Ringue desportivo é uma prioridade

Quanto a projetos para o futuro, o responsável mostra-nos as instalações desportivas, o ringue: “Este projeto já deveria estar numa fase final, nomeadamente as obras da parte exterior do ringue, onde todo o muro de betão será demolido e será construído um muro pequeno, o qual levará uma rede, com três ou quatro metros para cima, servindo de suporte para as bolas”, explica, falando ainda da reparação das bancadas, obra que já iniciou. É necessário também preparar o piso para jogar: “Eu ainda fiz o pedido para se colocar relva sintética, mas o que me disseram é que iríamos ficar presos apenas ao futebol com esse piso. Foi decidido preparar um piso emborrachado para praticar outros desportos, como o basquete e o voleibol”, refere.

A ambição de Samuel era maior, gostaria que aquele espaço tivesse uma cobertura, um sonho difícil de concretizar atualmente: “Começo a ver isso muito difícil, pois as obras da cobertura ficaram paradas de um momento para o outro. Sei que neste momento não é possível o licenciamento, não sei se é por causa das residências à volta do ringue. Pedro Machado disse-nos para pensarmos em tudo menos na cobertura. A parceria com a Câmara e com a Junta é preparar um piso emborrachado para começarmos a ter novamente desporto nesta associação”.

Com cerca de duzentos sócios inscritos, mas com poucos com as quotas em dia, Samuel Correia pretende que as pessoas voltem à vida da Associação, para a ajudar. Atualmente, a situação financeira é estável.

O principal objetivo é continuar com a parceria com a Associação de Teatro Vidas em Cena e, no futuro, apostar mais no desporto: “Estamos gratos pela ajuda que nos dão na divulgação da Associação. E quem sabe, após termos isto preparado a nível de exterior, criar uma equipa de futebol e desafiar outras equipas, cativar as crianças e começar com a formação, por exemplo”, desafia.

Comentários

Submeter Comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Artigos recentes

Conferência do PSD Lousada debateu estratégias e financiamento para o Desenvolvimento Local

Na noite de 18 de julho, o Auditório da COPAGRI em Lousada foi palco da conferência...

“Toda a glória do mundo é transitória”

JORGE NETO, ADVOGADO E POLÍTICO O lousadense Jorge Manuel Ferraz de Freitas Neto, de 67 anos, é um...

Associação dos Voluntários de Caíde de Rei Celebra 34.º Aniversário com Evento Memorável

A Associação dos Voluntários de Caíde de Rei comemorou, ontem, o seu 34.º aniversário com uma...

Queixas ambientais morrem num emaranhado de burocracias e “procedimentos duvidosos”

A (DES)ORDEM NO RIO MESIO (PARTE 2) Esta é a segunda parte da reportagem d'O Louzadense sobre um...

AD Lousada não se vai coligar com SAD Lank

FEDERAÇÃO NÃO AUTORIZA O “CASAMENTO” Estava tudo bem encaminhado entre as partes para que a junção...

Editorial 125 | O Gestor de Redes Sociais

Numa terra longínqua onde os emojis governam e os likes são moedas de troca, vive o temido Gestor...

LOUSADA RECEBE MAIOR FESTIVAL DE DRIFT DO PAÍS

O Eurocircuito da Costilha em Lousada será palco no final do mês da 11ª edição do Encontro...

Xadrez do Lousada Voleibol Clube com excelentes resultados no fim de semana

Esteban Dario Caro, xadrezista da secção de xadrez do Lousada Voleibol Clube venceu o VII Torneio...

Oficinoscópio assinala 10 anos de cinema de animação

No dia 10 de julho foi apresentado o livro Oficinoscópio, relativo aos 10 anos de Oficinas de...

AUTOR VISITA ALDAF E PROMOVE MOMENTO DE CULTURA PARA PESSOAS COM DEFICIÊNCIA EM LOUSADA

No passado dia 13 de junho a Associação Lousadense dos Deficientes, dos seus Amigos e Familiares...

Siga-nos nas redes sociais