por | 26 Mai, 2020 | Grandes Louzadenses, Sociedade

Formação promovida pela Inov’Lousada destinada a profissionais do comércio e serviços

“Precauções Básicas do Controlo da Infeção”

O início do desconfinamento e a abertura dos espaços comerciais implica novas rotinas, essenciais para a manutenção da saúde pública. A pensar nesta nova realidade, a Inov’Lousada organizou uma ação de formação, destinada a comerciantes e prestadores de serviços, sobre os cuidados a ter para evitar a propagação do novo coronavírus, ministrada pelo Enfermeiro Renato Gomes. A ação decorreu no dia 13 de maio e contou também com a intervenção do médico Miguel Moura.

Colocação eficaz da máscara e lavagem das mãos

O enfermeiro Renato Gomes partilhou os seus conhecimentos enquanto profissional de saúde de uma forma que considera mais eficaz: “Uma coisa é dizer às pessoas que têm de usar máscara, outra é dizer como elas devem usar a máscara. Há pormenores de como colocarmos ou tirarmos a máscara que podem estar a comprometer esse uso. Não importa só usar, é preciso usar bem”, reforça. Também a lavagem das mãos foi alvo de uma atenção especial por parte do enfermeiro. “Há certos passos que temos de seguir, para que elas fiquem bem lavadas e bem desinfetadas”, salienta.

Seguindo as normas do distanciamento social, o evento teve um número de presenças reduzido, mas Renato Gomes crê que a partilha terá um efeito muito positivo nos comerciantes e lojistas. “Partilhamos com eles estas dicas para que possam desenvolver a sua atividade comercial de forma mais segura, sendo agentes de saúde pública, dando o seu exemplo, no seu dia a dia, junto dos familiares e dos seus clientes”, refere.

O balanço foi, por isso, muito positivo. “O melhor que podemos ter é chegar ao fim e perceber que as pessoas aprenderam muita coisa”, diz.

“Melhor prevenir do que remediar”

O médico Miguel Moura considera estas formações importantes e fundamentais: “Foi uma boa iniciativa. O facto de fazermos isto para o público em geral permite sensibilizar as pessoas de uma forma mais próxima”, diz.

O atendimento ao público poderá ser um veículo de transmissão da Covid 19 e, por isso, “sensibilizar as pessoas nesta fase pode ser uma medida importante para a saúde pública”, diz o médico, que considera a formação original. “Penso que não há muitas iniciativas neste sentido. Quanto mais rapidamente as fizermos, mais rapidamente vamos estar preparados apara lidar com esta doença nesta fase. Já temos algum comércio de proximidade aberto, mas a partir de 1 de junho vamos ter ainda mais e, se atrasarmos muito, quando formos formar as pessoas, já estamos numa fase em que já devemos ter um conhecimento maior”, sustenta.

“Mais vale prevenir do que remediar” é um velho ditado que deveria ser seguido, segundo Miguel Moura. “Efetivamente não é muito o que acontece na realidade”, lamenta. “já deveríamos ter iniciado esta fase, pois sabíamos que iríamos abrir o comércio mais tarde ou mais cedo”, defende. A informação disponível, mesmo da parte da DGS, nem sempre é percetível para todas as pessoas. Por isso, “ter estes formadores que veiculem esta mensagem pode precaver melhor possíveis infeções”, diz.

▲Comerciantes e profissionais do comércio e serviços ouviram com atenção as explicações do enfermeiro Renato Gomes

Transmitir confiança aos clientes é fundamental

Ambrósio Gomes é cabeleireiro. Fechou o seu salão no dia 1 de março e regressou à atividade no dia 4 de maio. “Em 45 anos nunca tinha fechado tanto tempo. O que mais me tocou foi a situação familiar, o abraço à mãe, o beijo à neta”, diz.

O cabeleireiro reconhece que estamos perante um “mundo novo”, ao qual a sua geração tem de estar atenta. “Temos de transmitir aos mais jovens que não tenham o trauma do vírus e aos mais velhos transmitir mais confiança”, diz. Para Ambrósio Gomes, estas formações são importantes, tanto para a vida profissional como pessoal.

A atividade de cabeleireiro já não é o que era. Ambrósio Gomes explica como têm sido os primeiros dias: “Houve uma mudança radical no meu salão, na maneira de me vestir, de me proteger e proteger os meus clientes. A lei obriga à proteção com a máscara, que era uma das coisas que a associação de cabeleireiros vinha defendendo”. O cabeleireiro lousadense entrou “neste mundo novo com muita proteção”, não descurando a limpeza sempre que muda de cliente, pois considera fundamental transmitir confiança. “Eu estava com algum receio, mas os clientes estão a aceitar esta mudança. Temos de ter confiança, pois já detetei muitos clientes com depressão”. Esta formação é considerada por si importante e uma aposta que deve ser feita por parte do poder local.

Comentários

Submeter Comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Artigos recentes

Conferência do PSD Lousada debateu estratégias e financiamento para o Desenvolvimento Local

Na noite de 18 de julho, o Auditório da COPAGRI em Lousada foi palco da conferência...

“Toda a glória do mundo é transitória”

JORGE NETO, ADVOGADO E POLÍTICO O lousadense Jorge Manuel Ferraz de Freitas Neto, de 67 anos, é um...

Associação dos Voluntários de Caíde de Rei Celebra 34.º Aniversário com Evento Memorável

A Associação dos Voluntários de Caíde de Rei comemorou, ontem, o seu 34.º aniversário com uma...

Queixas ambientais morrem num emaranhado de burocracias e “procedimentos duvidosos”

A (DES)ORDEM NO RIO MESIO (PARTE 2) Esta é a segunda parte da reportagem d'O Louzadense sobre um...

AD Lousada não se vai coligar com SAD Lank

FEDERAÇÃO NÃO AUTORIZA O “CASAMENTO” Estava tudo bem encaminhado entre as partes para que a junção...

Editorial 125 | O Gestor de Redes Sociais

Numa terra longínqua onde os emojis governam e os likes são moedas de troca, vive o temido Gestor...

LOUSADA RECEBE MAIOR FESTIVAL DE DRIFT DO PAÍS

O Eurocircuito da Costilha em Lousada será palco no final do mês da 11ª edição do Encontro...

Xadrez do Lousada Voleibol Clube com excelentes resultados no fim de semana

Esteban Dario Caro, xadrezista da secção de xadrez do Lousada Voleibol Clube venceu o VII Torneio...

Oficinoscópio assinala 10 anos de cinema de animação

No dia 10 de julho foi apresentado o livro Oficinoscópio, relativo aos 10 anos de Oficinas de...

AUTOR VISITA ALDAF E PROMOVE MOMENTO DE CULTURA PARA PESSOAS COM DEFICIÊNCIA EM LOUSADA

No passado dia 13 de junho a Associação Lousadense dos Deficientes, dos seus Amigos e Familiares...

Siga-nos nas redes sociais