por | 28 Nov, 2023 | Cultura, Sociedade

Inauguração da exposição “Unidos Venceremos!” com Pacheco Pereira

No âmbito das comemorações dos 50 Anos do 25 de Abril, foi inaugurada, no dia 24 de novembro, a exposição “Unidos Venceremos! Protesto, sindicatos e greves no Marcelismo (1968-1974)”, com uma visita guiada pelo Dr. José Pacheco Pereira, o curador da mostra.

O Presidente da Câmara Municipal, Dr. Pedro Machado, salientou “a importância desta exposição no âmbito das Comemorações dos 50 anos do 25 de Abril, com principal interesse para os mais jovens que não tiveram qualquer vivência no período que antecedeu a Revolução dos Cravos”.

A segunda iniciativa, de um conjunto de 14, até 2025, tem como finalidade também que “seja assinalada condignamente uma data que tanto representa para o país”, salientou ainda o autarca.

O Dr. Pedro Machado destacou que “existe, por vezes, uma tendência em desvalorizar as conquistas de Abril, até pela distância temporal. Mas, não devemos dar a liberdade com um facto total e definitivamente adquirido. Existem, cada vez mais, movimentos extremistas que chegam ao poder de países considerados evoluídos e tal facto deve fazer-nos pensar”.

O Presidente da Câmara referiu ainda que “muitas vezes podemos ter motivos para nos queixarmos mas, de uma maneira geral vivemos substancialmente melhor do que há 50 anos. Basta pensar nas condições de vida, no atraso económico e social, com altas taxas de analfabetismo e de mortalidade infantil, em que a criação do SNS foi uma das maiores conquistas”.

A intenção do Município em fazer com que os alunos visitem a exposição e possam ver como era viver em Portugal há 50 anos, é importante para preservar as conquistas de Abril”– rematou ainda o Dr. Pedro Machado.

O Dr. Pacheco Pereira salientou que esta exposição “diz muito sobre a resistência no mundo do trabalho, onde ninguém podia levantar a cabeça. A que tentava fazê-lo, para ter dignidade no seu trabalho, havia uma forte repreensão. As mulheres foram mais sujeitas a várias formas de repressão. No entanto, homens e mulheres que trabalhavam em fábricas não tinham direitos, não podiam fazer greves, não tinham subsídio de desemprego nem formas significativas de usufruir da Segurança Social”.

Relativamente à abertura da exposição ao público escolar, o Dr. Pacheco Pereira salientou que “é muito importante que os mais novos vejam a exposição. É necessário fazer chamadas de atenção para as fotografias nas prisões, e explicar que as pessoas eram torturadas. Mostrar que isto acontecia todos os dias e fazer perceber ao mais jovens que não gostariam de morar num mundo semelhante”.

A exposição é relativa a um primeiro levantamento exaustivo das greves e protestos no Marcelismo, que aponta para um número superior a 300 ocorrências, e informação obtida a partir da consulta de documentação inédita da Legião Portuguesa (LP) e da PIDE-DGS, que permite compreender os mecanismos da repressão da ditadura: PIDE-DGS, PSP, GNR e LP. A exposição destaca ainda a participação das mulheres neste movimento de contestação, em particular das operárias ligadas aos têxteis e lanifícios.

«Unidos Venceremos! Protesto, sindicatos e greves no Marcelismo (1968-1974)» é uma iniciativa da Comissão Comemorativa 50 anos 25 de Abril e da Ephemera – Associação Cultural, em parceria com Direcção-Geral do Livro, Arquivos e Bibliotecas, Arquivo Nacional do Som, Câmara Municipal de Lisboa, Câmara Municipal do Barreiro e CP – Comboios de Portugal.

A exposição vai estar patente no Espaço AJE até dia 31 de janeiro e pode ser visitada de segunda a sexta-feira, das 9h00 às 12h30 e das 14h00 às17h30.

Comentários

Submeter Comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Artigos recentes

Andreia Moreira

Socorro, o meu filho (a minha filha) pratica desporto!

Hoje em dia é valorizada a prática de desporto nas camadas mais jovens, o que implica uma série de...

Escola de Lodares assinala centenário do Coronel Soares de Moura

Livro impresso e digital, exposição documental, desdobrável e sessão de teatro: a escola básica de...

FESTIVAL VILA 2024

O Festival Vila está de regresso, de 28 a 30 de junho, no Parque Urbano Dr. Mário Fonseca, com...

Os lousadenses são pessoas honradas

Manuel Luís Bessa Sousa, um especialista financeiro É uma pessoa conhecida da generalidade da...

Novo alojamento local: Sorte do Paço

ONDE A MODERNIDADE COMBINA COM TRADIÇÃO Este é o mais recente alojamento local da região, que...

Mau comportamento de pais nos jogos de futebol dos filhos é preocupante

BERROS, INSULTOS, INVASÕES DE CAMPO, AGRESSÕES NA BANCADA Na entrevista ao treinador do Aparecida,...

COPAGRI acolhe Dia do Produtor PEC Nordeste

Decorreu esta manhã, no auditório da Copagri, o Dia do Produtor PEC Nordeste. Do programa desta...

USF Torrão e UCC Lousada certificadas pela Direção-Geral da Saúde

A Unidade Local de Saúde do Tâmega e Sousa tem agora mais 10 Unidades de Saúde Familiar...

Editorial 123 | Identidade e Espírito Comunitário em Lousada

Lousada, com a sua rica história e tradições, sempre foi um exemplo de comunidade unida. No...

LADEC espera reunir 700 bombos em Lousada

No próximo sábado, às 21h30 horas, realiza-se a Noite de Bombos da LADEC, que vai percorrer o...

Siga-nos nas redes sociais