por | 26 Jan, 2024 | Dar voz aos livros, Opinião

A leitura e as emoções

Falar sobre emoções é um desafio, que se afigura maior, quando associamos estas à leitura. Enquadrada no projeto “A Voz que damos aos livros”, a conferência enunciada no título deste texto protagonizou o início de um conjunto de conferências sobre leitura: Ler a Valer – atividade a decorrer na ESL que ambiciona promover uma conversa alargada sobre o potencial da leitura, enquanto fonte única de interrogação e de interpretação da vida.

Servindo de espinha dorsal a estes encontros, a leitura constitui-se como um modo privilegiado de estabelecermos uma conexão com outros campos do conhecimento: as emoções e a inteligência emocional foi o primeiro. Quando falamos sobre literacia emocional, exploramos a importância de desenvolver o léxico emocional e de procurarmos perceber o impacto que este pode ter no bem-estar e no desenvolvimento de cada um.  A identificação das emoções, bem como a consciência da sua existência, aliadas à reflexão sobre como as podemos autorregular, tem um caráter transversal inequívoco.

Foi profundamente comovente sentir o silêncio de uma sala repleta de jovens enquanto Isabel Lage (psicóloga clínica), palestrante nossa convidada, lia excertos de livros e colocava a questão fundamental: “o que sentiram?”. Foi comovente e desafiador o silêncio que se sentiu, reencaminhando todos involuntariamente para a essência da leitura, das emoções, da comunicação. Em silêncio, todos estávamos cheios de palavras geradas a partir da introspeção e de um espaço comum da intimidade aberto pelas linhas de livros, como aquele incontornável de Saint Exupéry – O Principezinho. Como não nos revermos nas suas frases subliminares, como exemplificou Isabel Lage: “Tornas-te responsável por tudo o que cativares”.

Poderei dizer alguma coisa permanecendo em silêncio? Em The Power of Silence, de Adam Jaworski, o autor explora o silêncio como uma componente significativa da comunicação, sendo crucial encontrar uma espécie de simbiose entre o silêncio e a fala para que se efetive a comunicação.

Nesta sessão, esta fusão aconteceu: ficou sublinhada a importância da palavra e, por outro lado, tomamos consciência de que o homem pode desenvolver articulações mentais e sensíveis fora da matriz verbal. O silêncio assumiu-se não como mera ausência de discurso, mas como produtor de significado e como um contributo concreto para o ato de comunicação. “A leitura e as emoções” foi um momento único: lemos e, a partir daí, exploramos emoções; sobretudo, comunicamos pela palavra e no silêncio.

Muito em especial, inadvertidamente, acedemos à leitura enquanto meio eficaz para explorar as emoções, permitindo que nos sirvamos dos livros, da literatura para as compreender de forma mais efetiva e consequente.      

Conceição Brandão

Professora

Comentários

Submeter Comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Artigos recentes

“Deus deu-me a oportunidade de chorar a cantar”

CLÁUDIA MADEIRA, UMA FADISTA SOLIDÁRIA Cantar com alma e paixão são características de Cláudia...

A Casa Nobre No Concelho de Lousada

Tipologias - XIV | Pedra de Armas A pedra de armas, nem sempre presente, na fachada da casa,...

Violência no namoro preocupa encarregados de educação e professores

SIMULAÇÃO DE JULGAMENTO NO TRIBUNAL DE LOUSADA FOI ALERTA E PEDAGOGIA Um grande estudo nacional...

Quem são @s influencers lousadenses?

VENDEM PRODUTOS E SUGESTÕES A MILHARES DE PESSOAS Por “querer estar na moda” ou por insegurança e...

GINT: Uma história de crescimento, inovação e responsabilidade social

Desde a sua fundação em 1997, a Grecogeste-Trading de Produtos e Serviços S.A., do Grupo GINT, tem...

Programa Municipal de Caminhadas

No dia 15 de junho, sábado, realiza-se a Caminhada da Primavera, organizada pela Associação de...

Dia Municipal da Biodiversidade celebrado no Parque Urbano Dr. Mário Fonseca

Dia 21 de junho celebra-se o Dia Municipal da Biodiversidade. Desde 2017 que esta data é celebrada...

Inscrições abertas para o Banco de Voluntariado

O Banco de Voluntariado encontra-se em funcionamento desde 2006 e pretende garantir e promover a...

Orçamento Participativo Jovem tem candidaturas abertas até sexta-feira

Estão abertas as candidaturas para o Orçamento Participativo Jovem (OPJ), até dia 14, próxima...

Alunos de Lousada venceram concurso DXC Code Challenge

A equipa da EB da Boavista – Silvares, constituída por Letícia Teixeira Sousa e Luís Gonçalves...

Siga-nos nas redes sociais