por | 17 Mai, 2019 | Cultura, Freguesias

“As Amigas da Terra” marcam a diferença

Estamos habituados a ver em vários eventos, particularmente nas festas populares, braços viris batendo em grandes bombos. Grandes grupos que, saudavelmente, rivalizam entre si para estabelecer recordes nos decibéis . No meio da euforia e muita alegria, encontramos, por vezes, alguns braços femininos. Raramente grupos somente de mulheres.

As “Amigas da Terra” são um grupo que marca a diferença, apresentando-se no feminino. Tudo começou em 2018, quando a Comissão de Festas da Sra. do Amparo, em Covas, decidiu juntar algumas mulheres da Terra para tocar no leilão da festa desse ano. O bichinho ficou.

Atualmente, fazem parte da Associação Cultural e Recreativa de Covas, como explica a líder do grupo, Lola Ferreira: “Para ser criado, o grupo “Amigas da Terra” tinha de estar ligado a uma associação sem fins lucrativos, e ter uma sede própria, daí a nossa relação com a ACR”.

Único grupo de bombos constituído exclusivamente por mulheres

É um grupo com 20 mulheres, entre os 5 e os 55 anos, unidas pela vontade de se divertirem e pelas raízes que têm em Covas, o que lhes deu nome, “Amigas da Terra”. Num grupo de mulheres, não podia deixar de estar presente um toque feminino: “A nossa indumentária é própria para cada circunstância”, explica, mostrando que não descoram a aparência.

Lola Ferreira orgulha-se da proeza: ser o único grupo de bombos constituído somente por mulheres. “Há outros que têm muitas mulheres, mas também têm homens. Consideramos uma mais-valia porque, como somos só mulheres, as pessoas consideram isso uma diferença e apreciam”, explica.

Batismo foi no dia 1 de maio

O Batismo, que se realizou no dia 1 de maio, data do primeiro aniversário do grupo, foi o momento alto da existência das “Amigas da Terra”. Lola Ferreira reconhece que foi o coroar e o “reconhecimento do que tem sido feito neste ano”. “Mas todos os momentos foram importantes, porque nos fizeram chegar até aqui”, afirma.

As “Amigas da Terra” têm recebido muitos elogios e os convites para atuar são a prova desse trabalho positivo que têm desenvolvido: “O ano passado tivemos cerca de 20 atuações e, neste momento, até julho, já temos 12 atuações marcadas”, revela. A única dificuldade é a falta de transporte para se deslocarem quando os locais de atuação são distantes.

Para já, têm na mira a aquisição de um acordeão, para realizarem “atuações mais diversificadas”.

Da parte da população têm tido o merecido apoio: “A população tem-nos apoiado bastante e animado a continuarmos. Inclusivamente, algumas pessoas acompanham o grupo nas nossas deslocações”.

Lola Ferreira agradece a todas as pessoas e entidades que têm acreditado no seu trabalho. “Que continuem a acreditar, para levarmos a nossa terra e alegria ao maior número de lugares que pudermos”, Entre os apoios recebidos, destacam o CCR Covas, a Câmara de Lousada e alguns empresários da freguesia de Covas. Dirige também uma palavra de agradecimento aos padrinhos, o grupo de bombos “Os amigos de Caíde de Rei”.

Comentários

Submeter Comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Artigos recentes

Portistas comentam eleições no FC do Porto

MAIORIA DEFENDE MUDANÇAS Nem só os partidos políticos estão em campanha eleitoral. Também o...

Bombos femininos crescem em Lousada

AS “BOMBÁSTICAS DE AVELEDA” No final do desfile do Carnaval de Lousada, todas aprumadas na...

“Câmara recusou sistema de rega inovador” (DR)

Ao abrigo do disposto nos artigos 24.º e 25.º da Lei da Imprensa, aprovada pela Lei n.º 2/99, de...

70.º aniversário do nascimento de um Grande Louzadense

MÁRIO FERNANDO RIBEIRO PACHECO FONSECA (1954-2012) «Gosto tanto de Lousada, que nela gosto de tudo...

Skaters queixam-se de perseguição da polícia Municipal para deixarem a “mítica” Praça do Bispo

FAMA DO LOCAL ONDE NASCEU O SKATE LOUSADENSE JÁ CHEGOU AO ESTRANGEIRO O fenómeno do skate...

Já começaram as movimentações para formar a Comissão de Festas

Romaria da Senhora Aparecida O artigo da anterior edição do nosso jornal, sobre a ausência de...

Editorial 115 | Silêncio

A 26 de fevereiro de 1954 nascia Mário Fernando Ribeiro Pacheco Fonseca, figura incontornável da...

Direção ameaça entregar chaves do clube se não houver acordo com autarquia

ASSOCIAÇÃO DESPORTIVA DE LOUSADA A ADL está em modo de «gestão a prazo», pois a atual Direção já...

Lousada recebeu entrega de prémios da AT Porto

Retomou-se, no passado dia 3 de Fevereiro, a habitual cerimónia de entrega de prémios da...

Peça de teatro promove a sensibilização e prevenção rodoviária nos mais novos

A nova edição da campanha de sensibilização, que transforma as crianças em agentes de segurança e...

Siga-nos nas redes sociais