por | 25 Abr, 2020 | Opinião, Sociedade

Liberdade

“Viemos com o peso do passado e da semente
esperar tantos anos torna tudo mais urgente
e a sede de uma espera só se ataca na torrente
e a sede de uma espera só se ataca na torrente

Vivemos tantos anos a falar pela calada
só se pode querer tudo quanto não se teve nada
só se quer a vida cheia quem teve vida parada
só se quer a vida cheia quem teve vida parada

Só há liberdade a sério quando houver
a paz o pão
habitação
saúde educação
só há liberdade a sério quando houver
liberdade de mudar e decidir
quando pertencer ao povo o que o povo produzir.”

Sérgio Godinho

Como nada é oferecido aos trabalhadores, a obtenção de direitos só foi possível com a luta organizada ao longo de muitas décadas, bem antes de Abril de 1974. Direitos, que são fruto de pequenas e grandes lutas nas empresas e locais de trabalho, com greves, concentrações, manifestações, assembleias sindicais, enfrentando a repressão e a prisão, formando assim as bases a partir das quais se construíram as leis do trabalho e a contratação coletiva.

Intervindo ativamente na transformação do país, na defesa da liberdade, no combate contra as forças reacionárias e o patronato, os trabalhadores impuseram a consagração dos seus direitos na lei: liberdade sindical, direito à greve, direito de reunião também em horário laboral, de manifestação, salário mínimo nacional, acesso ao direito a subsídio de desemprego e de doença, à negociação coletiva, proibição de despedimento sem justa causa, férias pagas e respetivo subsídio.
Somemos a estas realidades outras como o acabar de uma guerra colonial que matou 10.000 jovens portugueses e estropiou mais de 40.000; a censura que impediu que a verdade fosse dita, mesmo quando eram filmes de Charlie Chaplin; a tortura e o assassinato de quem tinha coragem de não estar de acordo; a perseguição a artistas, cientistas e intelectuais, porque se recusavam a fazer “queimar” os mesmos livros que o amigo de Salazar, Adolf Hitler, queimou; as eleições viciadas e o assassinato de patriotas como o General Humberto Delgado.

Quarenta e seis anos depois da madrugada libertadora, quando enfrentamos uma pandemia que exige a mesma coragem dos resistentes ao fascismo e dos capitães de Abril, convém também lembrar que novos esbirros, sucedâneos dos informadores e agentes torcionários da PIDE/DGS, tentam utilizar qualquer pretexto para tentar olvidar o Dia da Liberdade. Não passarão! A nossa juventude, criada nessa Liberdade, quando e se for preciso, mesmo que tentem esconder a história, não permitirá tal.
E nós, os que fizemos e vivemos Abril, dizemos, tal como Ary dos Santos:
“ (…) E se esse poder um dia o quiser roubar alguém, não fica na burguesia, volta à barriga da mãe, volta à barriga da terra que em boa hora o pariu. Agora ninguém mais cerra as portas que Abril abriu!”.

Concelhia do P.C.P. de Lousada

Comentários

Submeter Comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Artigos recentes

Portistas comentam eleições no FC do Porto

MAIORIA DEFENDE MUDANÇAS Nem só os partidos políticos estão em campanha eleitoral. Também o...

Bombos femininos crescem em Lousada

AS “BOMBÁSTICAS DE AVELEDA” No final do desfile do Carnaval de Lousada, todas aprumadas na...

“Câmara recusou sistema de rega inovador” (DR)

Ao abrigo do disposto nos artigos 24.º e 25.º da Lei da Imprensa, aprovada pela Lei n.º 2/99, de...

70.º aniversário do nascimento de um Grande Louzadense

MÁRIO FERNANDO RIBEIRO PACHECO FONSECA (1954-2012) «Gosto tanto de Lousada, que nela gosto de tudo...

Skaters queixam-se de perseguição da polícia Municipal para deixarem a “mítica” Praça do Bispo

FAMA DO LOCAL ONDE NASCEU O SKATE LOUSADENSE JÁ CHEGOU AO ESTRANGEIRO O fenómeno do skate...

Já começaram as movimentações para formar a Comissão de Festas

Romaria da Senhora Aparecida O artigo da anterior edição do nosso jornal, sobre a ausência de...

Editorial 115 | Silêncio

A 26 de fevereiro de 1954 nascia Mário Fernando Ribeiro Pacheco Fonseca, figura incontornável da...

Direção ameaça entregar chaves do clube se não houver acordo com autarquia

ASSOCIAÇÃO DESPORTIVA DE LOUSADA A ADL está em modo de «gestão a prazo», pois a atual Direção já...

Lousada recebeu entrega de prémios da AT Porto

Retomou-se, no passado dia 3 de Fevereiro, a habitual cerimónia de entrega de prémios da...

Peça de teatro promove a sensibilização e prevenção rodoviária nos mais novos

A nova edição da campanha de sensibilização, que transforma as crianças em agentes de segurança e...

Siga-nos nas redes sociais