por | 4 Jul, 2022 | Associativismo, Sociedade

Associação Recreativa e Desportiva de Macieira

A Associação Recreativa e Desportiva (ARD) de Macieira foi instituída a 17 de dezembro de 1981. Com mais de quatro décadas de existência, atualmente, encontram-se numa nova fase de reconstrução de um clube cheio de história. No futebol está representada na primeira divisão distrital com uma equipa sénior, bem como aufere de uma equipa de sub 15. A formação é a grande aposta que será explorada ao longo da entrevista por três membros da ARD Macieira. 

Manuel Magalhães, um dos fundadores da Associação Recreativa e Desportiva de Macieira e atual Presidente, introduz que no início da criação foram bastantes as dificuldades sentidas. Na época, o objetivo era a constituição de uma escola pós-laboral (à noite) onde se formava um grupo de música. Foi através desta prática que tudo começou, porém, pelo caminho esta vertente não vigorou e o futebol deu seguimento. 

A associação foi criada por um grupo de amigos, o habitual no surgimento de todas as instituições associativas. Como referido, marcaram presença Manuel Magalhães (atual presidente), Marco Teixeira (tesoureiro) e Nuno Magalhães (ex-presidente). Nas diversas perguntas o entrevistado alterou consoante o interrogado. 

A.R.D. Macieira dispõe do próprio campo de jogos, na Avenida Dos Pedrosos. O espaço físico foi requalificado em 2017, uma obra a cargo da Câmara Municipal de Lousada. O projeto foi iniciado e idealizado durante 12 anos, e a concretização deu-se no ano de 2017. Desde então, o conforto é palavra de ordem nas instalações, possibilitando melhores condições aos atletas e a todos os colaboradores. “Antigamente, o estado era precário”, sublinha Nuno. Hoje em dia, devido ao trabalho efetuado e à visibilidade que o clube ganhou, existem acomodamentos excecionais para dar continuidade à prática do futebol e a outros projetos. 

Era um desejo há muito ambicionado, principalmente porque nos últimos anos o clube conseguiu uma expansão significativa”, refere Nuno. Nesta perspetiva, a A.R.D. Macieira albergou 150 atletas o que motivou a que renovação das instalações se tornassem prioridade. De ressalvar que estas eram de origem, logo, era natural não estarem nas circunstâncias devidas. 

Nuno Magalhães, ex-presidente da A.R.D. Macieira, pertence a esta há cerca de 7 anos. Foi atleta sénior e, após terminar a sua formação no clube, integrou a direção em vários cargos. Mais tarde, tornou-se Presidente. Os laços familiares sempre estiveram ligados a este clube, e, até numa situação mais delicada, se manifestaram. Desde sempre entregou-se de corpo e alma à A.R.D. Macieira e aquando do falecimento precoce do seu irmão, na época o Presidente da associação, decidiu candidatar-se. Esta decisão derivou da direção que estava não pretender continuar. “O coração falou mais alto”, sustenta.  

Manuel Magalhães, desde a origem do A. R.D. Macieira que está presente. Posto isto, não existe melhor pessoa para guiar e assegurar esta função senão este. O propósito aquando da candidatura para Presidente ideia era arranjar pessoas novas, com perfis para determinadas situações e, como citado, dar continuidade. A direção integra alguns elementos novos como, por exemplo: Marco Teixeira, o tesoureiro. 

É um cargo complicado”, afirma Marco. Este estava na A.R.D. Macieira como atleta há 5 anos e, uma vez que deixou o futebol sénior, a direção convidou-o para integrar a própria. O jovem abraçou o desafio. A invitação surgiu de bom agrado, pois, a associação representa muito para si. 

Quando interrogados sobre os sentimentos antes e após as partidas, Nuno refere que se trata de um misto destes. Nos últimos anos a A.R.D. Macieira vivenciou uma situação complicada devido à manutenção do futebol sénior na 1º divisão distrital. “Mediante as condições que o clube aufere, não faria sentido pensar noutra coisa”, sustenta. 

Marco conta que a manutenção foi bastante complicada, porém, no final das contas fizeram uma época muito assertiva. “A equipa conseguiu de forma descansada assegurar o lugar a duas jornadas do final”, conta. O sentimento de orgulho e responsabilidade é o que permanece. De ressalvar para o facto de os atletas da A.R.D. Macieira não receberem monetariamente qualquer valor, logo, é necessário bastante disposição e paixão. 

Neste momento, na formação a associação apenas aufere de uma equipa de sub 15 com atletas entre os 14 e os 15 anos derivado à instabilidade vivenciada. Assim sendo, a grande aposta passa por garantir mais escalões nesta vertente, no fundo recuperar o perdido. Inicialmente, a ideia passa por criar duas equipas jovens, independente da idade. Os sub 15 irão continuar, sendo que alguns jogadores vão se manter neste escalão e outros subir. 

A aposta na formação consistiu em várias etapas, explicadas ao O Louzadense por Marco. Numa primeira fase, já realizada, o propósito passou por recrutar uma pessoa experiente para a coordenação da formação. “No nosso ver, optamos pela pessoa indicada para o cargo que já esteve na A.R.D. Macieira”, declara. Após a escolha, pretendem manter contacto direto com os pais dos atletas que já estão no clube, bem como com pais de atletas que já saíram no sentido de os recrutar. Além do mais, mantêm presença assídua nas redes sociais, realizando algumas parcerias com o intuito de divulgar o projeto. As captações estão também a acontecer onde qualquer jovem pode participar. 

Sobre os troféus e prémios conquistados, os três entrevistados referem o Campeonato de Seniores em 2018 onde a associação foi campeã, e, subiu para a 1º divisão distrital onde se encontra. Há também vários momentos bons na formação, por exemplo o facto de a A.R.D. Macieira ter-se tornado campeã de juniores, em 2015. Todos estes episódios e muitos mais são o alento e o orgulho daqueles que vivem intensamente o clube. 

Em jeito de finalização, o Presidente afirma que “este clube foi das formações mais projetadas do distrito do Porto”. A A.R.D. Macieira irá continuar a sua caminhada com mais de 40 anos de história, pautada sempre pelo amor e dedicação de todos os envolvidos. 

Comentários

Submeter Comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Artigos recentes

“Deus deu-me a oportunidade de chorar a cantar”

CLÁUDIA MADEIRA, UMA FADISTA SOLIDÁRIA Cantar com alma e paixão são características de Cláudia...

A Casa Nobre No Concelho de Lousada

Tipologias - XIV | Pedra de Armas A pedra de armas, nem sempre presente, na fachada da casa,...

Violência no namoro preocupa encarregados de educação e professores

SIMULAÇÃO DE JULGAMENTO NO TRIBUNAL DE LOUSADA FOI ALERTA E PEDAGOGIA Um grande estudo nacional...

Quem são @s influencers lousadenses?

VENDEM PRODUTOS E SUGESTÕES A MILHARES DE PESSOAS Por “querer estar na moda” ou por insegurança e...

GINT: Uma história de crescimento, inovação e responsabilidade social

Desde a sua fundação em 1997, a Grecogeste-Trading de Produtos e Serviços S.A., do Grupo GINT, tem...

Programa Municipal de Caminhadas

No dia 15 de junho, sábado, realiza-se a Caminhada da Primavera, organizada pela Associação de...

Dia Municipal da Biodiversidade celebrado no Parque Urbano Dr. Mário Fonseca

Dia 21 de junho celebra-se o Dia Municipal da Biodiversidade. Desde 2017 que esta data é celebrada...

Inscrições abertas para o Banco de Voluntariado

O Banco de Voluntariado encontra-se em funcionamento desde 2006 e pretende garantir e promover a...

Orçamento Participativo Jovem tem candidaturas abertas até sexta-feira

Estão abertas as candidaturas para o Orçamento Participativo Jovem (OPJ), até dia 14, próxima...

Alunos de Lousada venceram concurso DXC Code Challenge

A equipa da EB da Boavista – Silvares, constituída por Letícia Teixeira Sousa e Luís Gonçalves...

Siga-nos nas redes sociais