por | 4 Ago, 2022 | Espaço Cidadania, Sociedade

Luís Marques: A ajuda em pessoa

Com 46 anos, natural de Alvarenga, o cidadão desta edição viu-se compelido a mudar desta sua carinhosa freguesia para Santa Marinha de Lodares onde atualmente reside com a mulher e os seus dois filhos. Invoca o espírito associativo através da troca de experiências, da convivência entre as pessoas que se constituem em oportunidades de crescimento e desenvolvimento pessoal. Caracterizado pela pessoa disponível e afável, assim o foi, na entrevista concedida. 

Natural de Alvarenga, freguesia portuguesa do concelho de Lousada, Luís aborda de início os seus primeiros tempos de vida e escolaridade. Filho de pais feirantes que, por conseguinte, tinham de sair muito cedo de casa para irem para as feiras. Desta forma, o lousadense e o irmão mais velho frequentaram  o Externato da Misericórdia de Nossa Senhora do Rosário no Unhão até à quarta classe. 

Luís no Externato da Misericórdia de Nossa Senhora do Rosário

Durante quatro anos a rotina era a mesma. Às 6h da manhã uma freira recebia-os e os colocava num quarto a descansar até começarem as aulas. Os seus progenitores no regresso iam buscá-los, por volta das 18h da tarde. Terminada esta fase, Luís tinha duas opções, dirigia-se a Felgueiras para dar continuidade aos estudos ou ficava por Lousada. Esta última foi avante. 

Frequentou o segundo ciclo na Escola Preparatória, como carinhosamente recorda, e depois prosseguiu para a Escola Secundária de Lousada onde concluiu o terceiro ciclo. Contudo, o ensino secundário não deu por terminado, ou seja, o seu nível de estudos equivale ao 9º ano. 

Mais tarde, surgiu a vontade de ingressar nas novas oportunidades e concluir o 12º ano em horário pós-laboral. Porém, a vontade não foi suficiente pois o ritmo já estava perdido e outros hábitos foram implementados. “Já ganhava dinheiro”, demonstrando uma das razões que o fez não ingressar. 

Luís andava na disciplina Desporto e, naturalmente, dada a paixão andou em algumas modalidades. Fez as camadas jovens na Associação Desportiva de Lousada (ADL). Nos dias de hoje, apesar da sua vida agitada, pratica futebol às terças, quintas e sextas-feiras com três grupos de amigos diferentes. Segundo o próprio, ajuda-o a manter a forma e é saudável.

As suas ocupações à semana passam por isso, no entanto ao fim-de-semana faz do desporto automóvel o seu passatempo quando tem disponibilidade. “Eu e o meu irmão temos o nosso carro e fazemos algumas provas de Rallycross”, afirma. Há uns anos atrás, praticava BTT, embora tenha deixado. 

A sua equipa de rallycross

No fundo, dá para entender a paixão do lousadense por praticar exercício físico. “Adoro desporto, daí ter enveredado por essa área no secundário”, reforça. Posto isto, olhando para as suas atividades é digno de afirmar-se que emprega bem o seu gosto através das associações que fez e faz parte. 

Luís integrou uma das direções da Associação Amigos de Alvarenga, porém, a sua experiência num dos cargos diretivos não foi a mais agradável devido a questões de outra dimensão. “O meu pai era presidente do clube e, entretanto, foram precisas novas eleições e entrou uma nova direção na qual fiz parte”, salienta. 

Aliado à sua prática de BTT, fez parte da direção do Lousada BTT, mas durante pouco tempo. Após estas experiências, a maior e mais desafiante surgiu: ser Presidente do Lousada Voleibol Clube. A sua filha Verónica, de 17 anos, andava na natação sincronizada, mas não tinha muito aptidão para esta. Posto isto, surgiu a hipótese do voleibol e começou a praticar. 

Luís no BTT

Luís sempre foi um pai presente e estava em todas as ocasiões. Na época, houve uma crise diretiva no clube e a determinada altura, sem se aperceber, desempenhava o papel de Presidente. Ajudar sempre fez parte do seu Ser e nesta situação não foi diferente. 

Mascote do Lousada Voleibol Clube

Quando questionado sobre o papel do associativismo, prontamente afirma que é “trabalhar em prol da sociedade e do outro sem querer receber nada a nível monetário”. Aliás, de acordo com o próprio, o importante é as amizades, experiências e conhecimentos que se adquire. 

Nesta sequência, a satisfação do lousadense é ver a alegria das jovens em representar o concelho. Exemplo recente disso, foi o torneio Summer Cup na Lousã onde apesar do calor que se fazia sentir estas transportavam consigo um sorriso imenso.

As coisas no associativismo proporcionam-se. Luís acredita que o mesmo encaminha à participação ativa na cidadania e promove o diálogo, a cooperação, entre tantas outras coisas. No entanto, sublinha que entristece-o observar que, cada vez mais, as pessoas se preocupam menos com a parte associativa. “A sociedade não se encontra muito disponível para este dever cívico”, reforça. 

Recentemente, existia um grupo de xadrez em Lousada que precisava de clube e pediram ao  Lousada Voleibol Clube para se associarem. Pedido aceite, o LVC tem também uma secção de xadrez. “Acreditamos no projeto e nas pessoas, não tenho dúvidas que funcionará”, declara. 

Secção de xadrez do LVC

Desde sempre fez parte do associativismo, quer na presença ou como elemento diretivo, e pretende continuar nesta vida onde se ganha valores que não têm preço. Luís é casado desde 2002 com a mulher da sua vida, Rosária Cláudia, e deste matrimónio resultaram dois filhos, a Verónica e o Guilherme. “Vivemos muito em prol do desporto que eles praticam”, afirma.

Verónica, como referido anteriormente, anda no voleibol e Guilherme, de 14 anos de idade, anda no atletismo em Lustosa. “Por exemplo, a Verónica teve um jogo no sábado à tarde em Santa Maria da Feira e no domingo de manhã fui para Bragança com o meu filho correr”, conta demonstrando a grande logística em ter dois filhos adolescentes a usufruir de atividades extracurriculares. 

Filhos de Luís com as camisolas dos respetivos clubes e modalidades

A semana desta família é entre levar e buscar os filhos aos respetivos sítios de treino. “É muito desafiante ter dois jovens com idades próximas”, explica. Mas quem corre por gosto não cansa, já dizia o ditado. 

A par de tudo isto mencionado, Luís e os seus dois irmãos ficaram com a fábrica dos pais e a sua atividade profissional é realizada nesta. “Temos a nossa marca, a Marquesa, e depois trabalhamos a feitio”, esclarece. Desde sempre, trabalhou na área do têxtil. 

Fábrica de têxtil de Luís e dos irmãos

Questionado sobre o momento mais importante da sua vida, de imediato refere o nascimento dos filhos. Ao mesmo tempo, interrogado sobre a situação mais desafiante, afirma que foi quando se viu obrigado a sair da sua casa derivado à construção da autoestrada que passava em cima desta. 

“Uma mudança muito grande foi o facto de ter de deixar Alvarenga, a minha freguesia, o sítio onde nasci e ir morar para um local onde não conhecia ninguém”, declara. Naturalmente, esta fase da vida de Luís foi complicada e, além do mais, na época a sua esposa descobriu que estava grávida da primeira filha. 

Deixou a vida estruturada, calma e serena, e começou tudo do zero. Com muito esforço, hoje vive em Santa Marinha de Lodares com a sua família. De ressalvar que este não teve opção, uma vez que os interesses nacionais se sobrepõem aos interesses pessoais. No entanto, recebeu uma indemnização. 

O lousadense considera-se uma pessoa com defeitos, embora não goste de os admitir por vezes, porém, com qualidades. Ajudar o próximo está na sua identidade e não dispensa essa sua forma de ser e estar na vida. Em jeito de conclusão, aborda a sua estimada terra, “só não digo melhor de Lousada quando já não tenho mais adjetivos para qualificar”, conclui. 

Comentários

Submeter Comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Artigos recentes

A  memória e a literatura

Há uns tempos e a propósito de um Colóquio Internacional em que participei na Sorbonne, em Paris,...

“Fecharam-nos muitas portas, mas temos tudo controlado”

COMISSÃO DE FESTAS DO SENHOR DOS AFLITOS 2024 Em janeiro deste ano, Paulo Magalhães, Daniel Pires...

Cartaz de arromba nas festas de Lustosa

SÃO TIAGO É COMEMORADO DE 25 A 28 DESTE MÊS A comissão de festas de Lustosa é formada por mais de...

Festas Grandes em honra do Senhor dos Aflitos

A Vila já está iluminada lembrando as Festas Grandes, que têm um dos grandes momentos na...

Lousada no pódio europeu de árvores plantadas em Portugal

O Município de Lousada ocupa o primeiro lugar nacional, ao abrigo da iniciativa europeia da...

Votações para o OPJ até dia 8 de agosto

Até dia 8 de agosto estão em votação as 12 propostas apresentadas no âmbito do Orçamento...

Ações de sensibilização com a Liga Portuguesa Contra o Cancro

O Município de Lousada associou-se à Liga Portuguesa Contra o Cancro – Núcleo Regional do Norte,...

NÍVEL ELEVADO NO SUPERCROSS EM LUSTOSA

As grandes emoções do Supercross estiveram em Lustosa (Lousada), numa noite memorável. A pista do...

Quarteto Metralha animam festas e romarias

LOUSADA TEM CADA VEZ MAIS GRUPOS DE BOMBOS Os bombos são uma tradição bem portuguesa e em Lousada...

Verónica Parente apresenta a exposição “Horizontes de Cores” no Cais Cultural de Caíde de Rei

O Cais Cultural de Caíde de Rei acolherá a exposição "Horizontes de Cores", da artista Verónica...

Siga-nos nas redes sociais