por | 23 Mar, 2023 | Sociedade

Podar árvores de fruto e de jardim: porquê, quando e como?

A poda é uma prática agrícola de extrema importância com o objetivo da eliminação dos ramos danificados e doentes, de forma a que as árvores adquiram uma determinada forma ou produção pretendida. Assim sendo, faz toda a diferença na saúde das árvores de fruto e de jardim e na quantidade de frutos e flores que produzem. Saiba mais sobre esta prática com dois profissionais da área. 

Antes de tudo, é importante perceber como as árvores funcionam. Estas são um tipo de regularizador térmico e, ainda, exercem outras funções como a ecológica, a social e a estética. Para mais, servem de abrigo e de fonte de alimento. Naturalmente, cada planta precisa de certos tipos de cuidados para que haja êxito no seu desenvolvimento e amadurecimento.

Existem algumas técnicas que são necessárias para se obter um melhor desenvolvimento das árvores e  na sua conservação após a fase adulta, como a poda. A poda é o corte de galhos, ramos e folhas indesejáveis da árvore, desta forma, a sua função é adaptar a mesma ao espaço que ocupa para estimular o crescimento saudável e a produção de frutas e flores.

Assim sendo, a poda é uma prática importante para conservar a saúde e a aparência tanto das árvores de fruto como das árvores de jardim. Contudo, é preciso ter conhecimento das técnicas de poda e das ferramentas corretas para a execução da mesma para que não se danifique a árvore. Claramente, o intuito de todos aqueles que realizam esta prática.  

Porquê?

Como referido, ao remover as partes mortas ou danificadas está a manter-se as árvores de fruto e de jardim saudáveis e produtivas. Além do mais, os benefícios são alguns: controlar o tamanho das árvores, estimular a produção de frutos ou flores, melhorar a circulação de ar, e outros. 

Quando?

O momento ideal depende de vários fatores, nomeadamente, do tipo de árvore e do clima que se sente. Todavia, aconselha-se a que a poda seja realizada no inverno para as árvores caducifólias e na estação seca para as árvores perenes. 

Como?

É, naturalmente, importante e necessário usar as ferramentas certas e seguir tudo corretamente. Existem algumas práticas como: remover os ramos estragados em primeiro, remover os ramos que crescem na direção errada em segundo, usar ferramentas afiadas e limpas para evitar a propagação de doenças, entre outras.

Contudo, diferentes árvores requerem diferentes técnicas de poda e neste sentido contactou-se dois profissionais de maneira a esclarecerem algumas dúvidas. 

Domingos Filipe Almeida Ribeiro31 anos

Louzadense: Qual é a importância da poda de árvores de fruto e de jardim?

Domingos Filipe: A poda das árvores, nomeadamente as de fruto, tem uma elevada importância no sentido em que conseguimos através da poda definir por exemplo a altura da árvore para que não fique demasiado alta e dificulte a colheita, bem como aumenta a qualidade do fruto.

Louzadense: Como determina a quantidade de poda necessária para uma árvore em particular?

Domingos Filipe: No que respeita à quantidade da poda, no caso das árvores de fruto, o normal será de uma poda por ano, no entanto temos por exemplo a Oliveira de jardim, que para manter o formato necessita de duas a três podas por ano.

Domingos Filipe

José Manuel de Babo Magalhães51 anos 

Louzadense: Quais são as ferramentas necessárias para realizar uma poda adequada?

José Manuel: Umas tesouras de poda.

Louzadense: Qual o tempo de recuperação esperado para uma árvore de fruto e jardim, após a poda?

José Manuel: Em primeiro lugar, tudo difere da época em que se efetua a poda. Podemos podar em Novembro/Dezembro ou em Janeiro/Fevereiro, sempre antes das árvores rebentarem (abrir novos gomos). As árvores quando vem a Primavera (21-03), começam a florir.

José Manuel

Comentários

Submeter Comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Artigos recentes

Já começaram as movimentações para formar a Comissão de Festas

Romaria da Senhora Aparecida O artigo da anterior edição do nosso jornal, sobre a ausência de...

Editorial 115 | Silêncio

A 26 de fevereiro de 1954 nascia Mário Fernando Ribeiro Pacheco Fonseca, figura incontornável da...

Direção ameaça entregar chaves do clube se não houver acordo com autarquia

ASSOCIAÇÃO DESPORTIVA DE LOUSADA A ADL está em modo de «gestão a prazo», pois a atual Direção já...

Lousada recebeu entrega de prémios da AT Porto

Retomou-se, no passado dia 3 de Fevereiro, a habitual cerimónia de entrega de prémios da...

Peça de teatro promove a sensibilização e prevenção rodoviária nos mais novos

A nova edição da campanha de sensibilização, que transforma as crianças em agentes de segurança e...

Jantar-Comício do Partido CHEGA traz André Ventura a Lousada

O Presidente do Partido CHEGA, André Ventura, marcará presença no jantar oficial de campanha do...

Santuário de São Gonçalo de Lustosa

Lustosa é uma parcela do concelho de Louzada que gosto de percorrer e apreciar, mormente a...

Professor de artes é “artista de horas livres”

Joaquim Alexandre Ribeiro: A moldar lousadenses pela arte O professor Joaquim Alexandre Nunes...

Amanhã virás Sol, amanhã virás

ABRIL LOUZADENSE (IX) Um dos maiores vultos portugueses da luta contra a ditadura foi o...

O verdadeiro voto útil e a matemática do “Chega” para lá

Dúvidas ainda houvesse sobre a importância do projecto da Aliança Democrática (AD) e da...

Siga-nos nas redes sociais