por | 17 Jul, 2023 | Associativismo, Sociedade

O Regresso da Cruz Vermelha

Nesta edição abordamos o retorno da Cruz Vermelha ao concelho de Lousada, ressalvando a sua vertente humanitária que atua na defesa de pessoas com determinadas vulnerabilidades. Fernando Magalhães, Presidente da União de Freguesias de Figueiras e Covas, concedeu uma entrevista onde explicou que o projeto apesar de ficar sediado em Covas é para toda a comunidade lousadense.

“Sou eletricista da Cruz Vermelha de Vilela há muito tempo e, desde sempre, almejei trazê-la para a nossa vila”, principia. Corria o mês de abril do presente ano aquando do surgimento de uma oportunidade, na medida em que o Presidente da Cruz Vermelha de Vilela – Sr. Dias – ajudou no avanço do projeto.  Uma vontade de há muitos anos que, brevemente, será concretizada. 

Posto isto, convidaram o entrevistado para formar uma direção com 3 elementos. “Convidei o Sr. Padre António Freitas e, ainda, o Sr. Paulo Sampaio que será uma mais valia dado a ser enfermeiro”, declara. 

Fernando, desde sempre, desejou trazer esta instituição internacional para o concelho de Lousada devido a toda a sua envolvência com a mesma. Segundo o próprio, não conseguiu arranjar instalações em certas freguesias e falou com o proprietário de um espaço em Covas que acedeu positivamente. Deste modo, a Cruz Vermelha ficará sediada na Travessa São João Evangelista, nº1, porta 12. 

A importância da entidade é evidente para todos e, sem dúvida, um bem essencial e obrigatório em cada concelho. Ainda se encontra no começo, porém, é um garante de apoio em diversos sentidos: transporte, acompanhamento, emergência, formação, apoio social, entre outros. 

Fernando, de forma consciente, assume que existe muito trabalho pela frente como se de outra instituição se tratasse. “Já temos as chaves das instalações e agora vamos criar um grupo de voluntários e, ainda, um grupo de sócios”, sublinha que o projeto irá iniciar em breve. A direção almeja construir o necessário, neste momento, apenas na base do voluntariado. 

Neste seguimento, aquando da interrogação da criação de postos de trabalho: “só o tempo dirá se será possível criar empregos, contudo não podemos prometer nada pois não existem condições e fundos”. Quanto ao futuro, logo se verá se será possível pois a premissa é dar um passo de cada vez.

Relativamente ao tempo estimado, Fernando não consegue prever a conclusão do projeto. Por sua vontade, os trabalhos irão começar o mais breve possível, porém, pode demorar alguns meses pois tudo depende da iniciativa e apoio dos voluntários. Atualmente, a sede possui uma sala de reuniões, uma sala de espera, escritórios e casas de banho.

Este projeto será apoiado pela Cruz Vermelha de Lisboa – a Casa Mãe – e, ainda, pela Câmara Municipal de Lousada. “Agradeço, desde já, a disponibilidade e a presença do Dr. Maria do Céu que prometeu que o município estava disposto a colaborar com o necessário”, sublinha. 

De ressalvar que, apesar da sede ficar em Covas, trata-se de um projeto a nível concelhio – pela e por a comunidade lousadense. “Espero que o povo colabore porque é bom para todos, visto que serão vários os serviços que irão estar ao dispor”, salienta. 

Naturalmente, para que haja uma entreajuda serão distribuídos panfletos de forma a divulgar o projeto e, ainda, a pedir voluntários. Para além disto, será publicado nas redes sociais e a direção irá pedir a colaboração de todas as freguesias. 

“Haja força de vontade e espírito de trabalho para levar o essencial à comunidade lousadense que bem merece”, finaliza Fernando Magalhães. 

Comentários

Submeter Comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Artigos recentes

Andreia Moreira

Socorro, o meu filho (a minha filha) pratica desporto!

Hoje em dia é valorizada a prática de desporto nas camadas mais jovens, o que implica uma série de...

Escola de Lodares assinala centenário do Coronel Soares de Moura

Livro impresso e digital, exposição documental, desdobrável e sessão de teatro: a escola básica de...

FESTIVAL VILA 2024

O Festival Vila está de regresso, de 28 a 30 de junho, no Parque Urbano Dr. Mário Fonseca, com...

Os lousadenses são pessoas honradas

Manuel Luís Bessa Sousa, um especialista financeiro É uma pessoa conhecida da generalidade da...

Novo alojamento local: Sorte do Paço

ONDE A MODERNIDADE COMBINA COM TRADIÇÃO Este é o mais recente alojamento local da região, que...

Mau comportamento de pais nos jogos de futebol dos filhos é preocupante

BERROS, INSULTOS, INVASÕES DE CAMPO, AGRESSÕES NA BANCADA Na entrevista ao treinador do Aparecida,...

COPAGRI acolhe Dia do Produtor PEC Nordeste

Decorreu esta manhã, no auditório da Copagri, o Dia do Produtor PEC Nordeste. Do programa desta...

USF Torrão e UCC Lousada certificadas pela Direção-Geral da Saúde

A Unidade Local de Saúde do Tâmega e Sousa tem agora mais 10 Unidades de Saúde Familiar...

Editorial 123 | Identidade e Espírito Comunitário em Lousada

Lousada, com a sua rica história e tradições, sempre foi um exemplo de comunidade unida. No...

LADEC espera reunir 700 bombos em Lousada

No próximo sábado, às 21h30 horas, realiza-se a Noite de Bombos da LADEC, que vai percorrer o...

Siga-nos nas redes sociais