por | 16 Nov, 2023 | Dar voz aos livros, Opinião

As leituras não obrigatórias

Há uns largos anos atrás, a propósito de uma palestra para a qual fui convidada, defendi que a leitura não é obrigatória, que é preciso compreender a essência da leitura para a amar e que só desse modo ela se cumpre. Referia-me, nesse tempo, com um pé no digital, ao significado de fundo da palavra leitura, às implicações a ela inerentes, não ao ato superficial de abrir um livro, porque fomos obrigados, sem que esse ato opere em nós alguma transformação. Reportava-me, então, ao ato espontâneo de nos recolhermos dentro das páginas de um livro, às mil possibilidades abertas pelo silêncio e ao reencontro com a nossa voz.

A leitura é, em suma, uma vontade de nos reclinarmos sobre os universos possíveis sem deixarmos de ter os pés no chão do mundo, mas de um modo mais inquiridor e profundo. Lamberto Maffei acredita que com o ruído do mundo tecnológico cada vez maior e nos vamos tornando cada vez mais obtusos e afastados dos outros, pois «a correria da vida moderna, o pensamento rápido, não têm por natureza, paciência, qualidade graças à qual sabemos esperar antes de julgar e agir» (O Elogio da Lentidão, Lamberto Maffei, p. 77).

Nesse tempo relativamente distante, a viver o entusiasmo do início do universo tecnológico com «o pasmo essencial da criança», como diria Caeiro, também nós detínhamos essa ingenuidade única ao acreditar que esse avanço era sinónimo de uma felicidade inquestionável e que nos aproximaria de uma ideia de sermos deuses de nós mesmos. Desbravávamos, por esse tempo, um caminho que nos traria a lugares e abismos que hoje nos levam a refletir, por ser um trilho ambíguo e por nos afastar a cada dia mais dos desígnios humanos, de valores absolutos, como a bondade, o respeito pelo outro, enfim, a afetividade como a única fronteira do humano capaz de prevenir o ódio e a guerra no mundo.

No seu livro extraordinário O Infinito num Junco, Irene Vallejo sublinha que «ler é um ritual que implica gestos, posições, objetos, espaços, materiais, movimentos, modulações de luz» (p.56). Ler é, por isso, um cerimonial interior de busca de um silêncio e uma emoção perdidas no bulício da sociedade frenética de consumo. Partilhar com os jovens esta fome de livros, este fascínio por uma certa forma de luz, assaltados pelo mistério em forma de palavras, é mostrar-lhes que a leitura é uma escolha, uma necessidade. A leitura é, porventura, o nosso passaporte para a libertação que julgáramos ver no digital.

Conceição Brandão

Professora

Comentários

Submeter Comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Artigos recentes

Conferência do PSD Lousada debateu estratégias e financiamento para o Desenvolvimento Local

Na noite de 18 de julho, o Auditório da COPAGRI em Lousada foi palco da conferência...

“Toda a glória do mundo é transitória”

JORGE NETO, ADVOGADO E POLÍTICO O lousadense Jorge Manuel Ferraz de Freitas Neto, de 67 anos, é um...

Associação dos Voluntários de Caíde de Rei Celebra 34.º Aniversário com Evento Memorável

A Associação dos Voluntários de Caíde de Rei comemorou, ontem, o seu 34.º aniversário com uma...

Queixas ambientais morrem num emaranhado de burocracias e “procedimentos duvidosos”

A (DES)ORDEM NO RIO MESIO (PARTE 2) Esta é a segunda parte da reportagem d'O Louzadense sobre um...

AD Lousada não se vai coligar com SAD Lank

FEDERAÇÃO NÃO AUTORIZA O “CASAMENTO” Estava tudo bem encaminhado entre as partes para que a junção...

Editorial 125 | O Gestor de Redes Sociais

Numa terra longínqua onde os emojis governam e os likes são moedas de troca, vive o temido Gestor...

LOUSADA RECEBE MAIOR FESTIVAL DE DRIFT DO PAÍS

O Eurocircuito da Costilha em Lousada será palco no final do mês da 11ª edição do Encontro...

Xadrez do Lousada Voleibol Clube com excelentes resultados no fim de semana

Esteban Dario Caro, xadrezista da secção de xadrez do Lousada Voleibol Clube venceu o VII Torneio...

Oficinoscópio assinala 10 anos de cinema de animação

No dia 10 de julho foi apresentado o livro Oficinoscópio, relativo aos 10 anos de Oficinas de...

AUTOR VISITA ALDAF E PROMOVE MOMENTO DE CULTURA PARA PESSOAS COM DEFICIÊNCIA EM LOUSADA

No passado dia 13 de junho a Associação Lousadense dos Deficientes, dos seus Amigos e Familiares...

Siga-nos nas redes sociais