por | 8 Dez, 2023 | Finanças, Opinião

SENTIMENTO ECONÓMICO: OPTIMISMO OU REALISMO

Estamos a chegar ao final do ano e, urge efectuar uma aferição do mesmo e perspectivar o futuro.

O ano de 2023, para além do aumento das taxas de juros, a continuação da Guerra na Ucrânia e a nova Guerra no Médio Oriente entre outros efeitos, sentimos o aumento do custo de vida quando vamos às compras – mesmo que seja só o cabaz de compras essencial – pelo efeito da inflação ou quando pagamos a prestação dos empréstimos bancários.

A Comissão Europeia produz o Indicador de Sentimento Económico (ESI), com base num inquérito dirigido a empresas de diversos sectores de actividade (indústria, serviços, comércio, retalho e construção), bem como, aos consumidores da União Europeia e releva as expectativas dos consumidores e dos empresários em relação à economia.

O ESI apresenta valores superiores em Portugal do que na Zona Euro, eventualmente porque os portugueses andavam protegidos numa bolha artificial de optimismo, ainda que relativo, dado que o indicador apresentou na maioria dos meses valores inferiores a 100, o que reflecte um sentimento económico abaixo da média.

O sentimento económico foi-se deteriorando ao longo de 2023, sendo esta tendência mais significativa em Portugal (decréscimo de 8%) do que na Zona Euro (decréscimo de 6%), o que resultou numa convergência do ESI-Portugal e do ESI-Zona Euro nos últimos meses de 2023.

Olhando mais em pormenor, podemos verificar que Maio foi um mês de ajustamento do ESI. Face ao mês anterior, o indicador caiu 2,5% na Zona Euro e 3,2% em Portugal. Esta diminuição deveu-se à correcção por parte da oferta, tendo sido a indústria a primeira a mostrar-se receosa quanto ao futuro próximo, dado que, em termos de confiança, os consumidores não se deixaram abalar, apesar das taxas de juro elevadas, o que pode ter sido compensado por níveis baixos das taxas de desemprego e os aumentos salariais entretanto verificados.

A tendência decrescente e generalizada do ESI aponta para uma desaceleração económica na Europa. Eventualmente, estarão aqui, plasmadas as notícias menos favoráveis para 2024? Ou os portugueses estão mais realistas?

As perspectivas de consumo moderado (resultante do elevado custo de vida), o fim da medida IVA Zero no cabaz de alimentos no final de 2023 e o abrandamento do crescimento económico português em 2024, acompanhado de (mais) uma crise política, não se vislumbra um ESI optimista para 2024.

Espero estar enganado!

Ricardo Luís

Contabilista e Consultor de empresas 

* Escreve mediante o antigo acordo ortográfico

Comentários

Submeter Comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Artigos recentes

Já começaram as movimentações para formar a Comissão de Festas

Romaria da Senhora Aparecida O artigo da anterior edição do nosso jornal, sobre a ausência de...

Editorial 115 | Silêncio

A 26 de fevereiro de 1954 nascia Mário Fernando Ribeiro Pacheco Fonseca, figura incontornável da...

Direção ameaça entregar chaves do clube se não houver acordo com autarquia

ASSOCIAÇÃO DESPORTIVA DE LOUSADA A ADL está em modo de «gestão a prazo», pois a atual Direção já...

Lousada recebeu entrega de prémios da AT Porto

Retomou-se, no passado dia 3 de Fevereiro, a habitual cerimónia de entrega de prémios da...

Peça de teatro promove a sensibilização e prevenção rodoviária nos mais novos

A nova edição da campanha de sensibilização, que transforma as crianças em agentes de segurança e...

Jantar-Comício do Partido CHEGA traz André Ventura a Lousada

O Presidente do Partido CHEGA, André Ventura, marcará presença no jantar oficial de campanha do...

Santuário de São Gonçalo de Lustosa

Lustosa é uma parcela do concelho de Louzada que gosto de percorrer e apreciar, mormente a...

Professor de artes é “artista de horas livres”

Joaquim Alexandre Ribeiro: A moldar lousadenses pela arte O professor Joaquim Alexandre Nunes...

Amanhã virás Sol, amanhã virás

ABRIL LOUZADENSE (IX) Um dos maiores vultos portugueses da luta contra a ditadura foi o...

O verdadeiro voto útil e a matemática do “Chega” para lá

Dúvidas ainda houvesse sobre a importância do projecto da Aliança Democrática (AD) e da...

Siga-nos nas redes sociais