por | 31 Dez, 2023 | Ambiente, Uncategorized

“Plantar Lousada” já devolveu à natureza mais de 113 mil árvores, com a ajuda de cerca de 10 mil voluntários

No passado dia 6 de dezembro, o Município de Lousada levou a cabo mais uma iniciativa do projeto “Plantar Lousada”, que juntou utentes da Universidade Sénior de Lousada e crianças para aumentar a plantação de árvores na Mata de Vilar.

O projeto que a Câmara Municipal lançou no final de 2016 já plantou mais de 113 mil árvores no concelho, com a ajuda de mais de 10 mil voluntários, e aponta a meta de 150 mil até 2025.

Durante a iniciativa o vereador Manuel Nunes, responsável pelo pelouro do ambiente, explicou-nos que o Município, através do projeto “Plantar Lousada”, tentou “introduzir um fator de melhoria ambiental no território, com a plantação de árvores, o primeiro objetivo eram 10 mil árvores até 2025 e conseguimos ultrapassar esse objetivo logo no primeiro ano, no último inverno, plantamos a árvore 113 mil e essas árvores têm a particularidade de terem sido todas plantadas por mais de 10 mil voluntários”, disse.

O autarca referiu ainda que as árvores têm sido plantadas em espaços geridos e cogeridos pelo município, juntamente com parcerias com privados. O município dispõe ainda do subprograma “Plantar Lousada no Quintal”, em que os munícipes podem solicitar árvores ao município, para plantar nos seus territórios, com monitorização e acompanhamento técnico.

Segundo o edil, a área intervencionada no concelho ascende aos 100 hectares, e conta com uma taxa de sucesso de cerca de 70%. Desde o início do projeto que “tem envolvido dezenas de milhares de horas de voluntariado, tem um impacto económico e social muito interessante, o objetivo é até 2025 chegar às 150 mil árvores no concelho”, disse.

Além do fator ambiental, o vereador referiu a importante componente social, que “envolve a comunidade, como agente de transformação e de mudança na gestão do território, as pessoas são convidadas a participar, não só na plantação, mas também na manutenção daqueles espaços que estamos a intervir e, dessa forma, temos assistido ao longo dos anos a cada vez mais pessoas estejam disponíveis para participar, por verem a mudança acontecer”, disse.

O edil afirma que o “Plantar Lousada” tem sido um enorme sucesso, “é tão grande que tem sido replicado noutros municípios, com algumas variações”, além disso com “uma ação muito simples, que é plantar uma árvore, é possível fazer uma transformação”, afirmou. 

“Os vários prémios que o Município recebeu ao longo destes últimos anos, por causa da estratégia ambiental, são a prova de que vale a pena continuar a apostar nestas transformações, que podem parecer pequenas à escala de uma única árvore, mas quando são todas conjugadas são enormes e têm um impacto muito assinalável”, afiançou.

A Mata de Vilar, local onde decorreu a iniciativa, com cerca de 14 hectares de trilhos e espaço útil, foi adquirida pelo município em 2008. Na última década foi intervencionada pelo município, com a remoção de espécies invasoras e exóticas, reflorestação e melhoria da atratividade para a biodiversidade. O vereador Manuel Nunes disse que a Mata “tem neste momento mais de 70 espécies de vertebrados, e mais de uma centena de aves que são regularmente avistadas cá”, além disso foi introduzida água e “condições de visitação para as pessoas, como trilhos melhorados”, sendo atualmente a “primeira área de  floresta com um trilho acessível para pessoas com mobilidade reduzida do país, trilhos sensoriais e um conjunto de infraestruturas de visitação, desde laboratórios até auditórios, espaços de usufruto de observação da fauna e da biodiversidade, que permitem que a Mata seja usada 365 dias por ano, desde o Inverno até ao Verão, sempre com algo diferente para oferecer”, disse.

O espaço conta com “com dezenas de espécies florestais que vale a pena conhecer, é a única área florestal desta região digna desse nome porque a grande maioria das espécies que aqui temos são espécies nativas, sobretudo carvalhos, que criam uma área contínua de carvalhal que não é comum na nossa zona, porque infelizmente os carvalhais foram desaparecendo e hoje o que temos são florestas de monocultura”, o espaço que conta com uma equipa dedicada e um programa educativo vocacionado para as escolas e grupos, pode ser visitado a qualquer altura, mediante agendamento.

Comentários

Submeter Comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Artigos recentes

Editorial 125 | O Gestor de Redes Sociais

Numa terra longínqua onde os emojis governam e os likes são moedas de troca, vive o temido Gestor...

LOUSADA RECEBE MAIOR FESTIVAL DE DRIFT DO PAÍS

O Eurocircuito da Costilha em Lousada será palco no final do mês da 11ª edição do Encontro...

Xadrez do Lousada Voleibol Clube com excelentes resultados no fim de semana

Esteban Dario Caro, xadrezista da secção de xadrez do Lousada Voleibol Clube venceu o VII Torneio...

Oficinoscópio assinala 10 anos de cinema de animação

No dia 10 de julho foi apresentado o livro Oficinoscópio, relativo aos 10 anos de Oficinas de...

AUTOR VISITA ALDAF E PROMOVE MOMENTO DE CULTURA PARA PESSOAS COM DEFICIÊNCIA EM LOUSADA

No passado dia 13 de junho a Associação Lousadense dos Deficientes, dos seus Amigos e Familiares...

Desvendando os Traços Antissociais

Os traços antissociais são confundidos por vários sintomas na linguagem coloquial, assim irei...

”Faz falta uma feira do livro”

GONÇALO SANTOS, ESCRITOR Chama-se Gonçalo Teles dos Santos, tem 44 anos, é natural de Sousela e...

A Casa Nobre No Concelho de Lousada

Tipologias - XVI | Elementos Decorativos II Os elementos decorativos, concebidos quase sempre em...

O discreto gigante da democracia lousadense

E DEPOIS D'ABRIL? [3] Lousada teve muitas pessoas de proa que embora sendo contra o regime...

Fim de Semana Cultural “Alma Magnetense” está de regresso

A Junta de Freguesia de Meinedo anuncia o regresso do Fim de Semana Cultural "Alma Magnetense",...

Siga-nos nas redes sociais