por | 8 Jul, 2019 | LivreMENTE, Opinião

Eleições, Liberdade e Cidadania!

Começou o corrupio partidário para prover os lugares das listas para as legislativas. A comunicação social dos últimos dias tem dado nota da previsão de mudanças significativas nos rostos que irão compor o hemiciclo de São Bento após o mês de outubro.

Não sou especialista no assunto, nem tenho a presunção de um dia vir a ser. Mas sei que para a Assembleia da República, bem como para o Parlamento Europeu e para as Assembleias Regionais, apenas os partidos políticos e as coligações de partidos podem apresentar candidaturas.

Portanto, tudo irá girar em volta dos aparelhos partidários! O mesmo será dizer (embora discutível) que em outubro teremos uma liberdade eleitoral condicionada! Podemos escolher livremente a força política, mas estaremos reféns das escolhas (boas ou más) que os partidos fizerem.

Da azáfama político-partidária que temos assistido emergem as minhas preocupações democráticas. Inquieta-me o complexo processo de composição das listas que se apresentarão a sufrágio. Os princípios que norteiam as escolhas não são claros! Uma parte dos nomes apresentados cabe às estruturas federativas, outra aos líderes políticos nacionais. Como critério, têm-se falado frequentemente nos noticiários da importância da lealdade para com a direção partidária, mas também na hierarquia de apadrinhamentos e na qualidade (duvidosa) dos escolhidos. Bem sabemos que os meandros partidários não têm sido exemplo de boas práticas e enredam-se em jogos de interesses e em disputas extenuantes… Até percebo a importância da lealdade (conceito que gostaria de associar a confiança) necessária dos elementos de uma lista, mas custa-me entender o servilismo e o compadrio. Isto é preocupante!… Contudo, reconheço que nem todos os agentes políticos se medem pela mesma bitola. Há muitas exceções, felizmente!

A Assembleia da República é a casa da democracia e deve ser, de facto, o órgão de poder representativo de todos os cidadãos (facto que muito aprecio e valorizo convictamente). A escolha dos candidatos a deputados não pode ser a dança das cadeiras! Merece o respeito e a dignidade que se opõe aos interesses individuais. Já que os portugueses não podem escolher verdadeiramente os deputados, desejo que os partidos façam as melhores escolhas e que se orientem pela competência!

Para o futuro, poderiam os portugueses participar no processo de definição dos candidatos… O assunto é intrincado! Mas há propostas que podem ser aplicadas e que poderão conferir maior democraticidade às legislativas. Tem-se falado, por exemplo, nas primárias, já previstas em estatutos partidários, como modo alternativo e participativo na escolha dos candidatos a titulares de cargos políticos. Porque não? Este poderá ser um dos caminhos para aperfeiçoar a democracia. Sabemos todos que é preciso!

Comentários

Submeter Comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Artigos recentes

Editorial 125 | O Gestor de Redes Sociais

Numa terra longínqua onde os emojis governam e os likes são moedas de troca, vive o temido Gestor...

LOUSADA RECEBE MAIOR FESTIVAL DE DRIFT DO PAÍS

O Eurocircuito da Costilha em Lousada será palco no final do mês da 11ª edição do Encontro...

Xadrez do Lousada Voleibol Clube com excelentes resultados no fim de semana

Esteban Dario Caro, xadrezista da secção de xadrez do Lousada Voleibol Clube venceu o VII Torneio...

Oficinoscópio assinala 10 anos de cinema de animação

No dia 10 de julho foi apresentado o livro Oficinoscópio, relativo aos 10 anos de Oficinas de...

AUTOR VISITA ALDAF E PROMOVE MOMENTO DE CULTURA PARA PESSOAS COM DEFICIÊNCIA EM LOUSADA

No passado dia 13 de junho a Associação Lousadense dos Deficientes, dos seus Amigos e Familiares...

Desvendando os Traços Antissociais

Os traços antissociais são confundidos por vários sintomas na linguagem coloquial, assim irei...

”Faz falta uma feira do livro”

GONÇALO SANTOS, ESCRITOR Chama-se Gonçalo Teles dos Santos, tem 44 anos, é natural de Sousela e...

A Casa Nobre No Concelho de Lousada

Tipologias - XVI | Elementos Decorativos II Os elementos decorativos, concebidos quase sempre em...

O discreto gigante da democracia lousadense

E DEPOIS D'ABRIL? [3] Lousada teve muitas pessoas de proa que embora sendo contra o regime...

Fim de Semana Cultural “Alma Magnetense” está de regresso

A Junta de Freguesia de Meinedo anuncia o regresso do Fim de Semana Cultural "Alma Magnetense",...

Siga-nos nas redes sociais