Aparecida FC quer ser uma referência na formação

Cristóvão Faria da Cunha, de 53 anos, empresário, é natural do Torno e assumiu recentemente a presidência do Aparecida Futebol Clube.
Nesta curta entrevista, fique a conhecer melhor o Clube e os objetivos da nova direção.

O que o levou a assumir a presidência da direção?

Antes de mais, quero agradecer o interesse demonstrado pelo vosso Jornal.
Agora, respondendo agora à questão, eu era vice-presidente da direção passada e, uma vez que o Presidente demonstrou perante a restante direção a vontade de não continuar na presidência por motivos profissionais, foi necessário encontrar uma nova pessoa para a assumir. A escolha surgiu naturalmente entre toda a estrutura.

Fale-nos um pouco dos elementos desta nova direção. Quais foram os critérios para a sua escolha?

Na nova direção, mantiveram-se todos os elementos da direção passada, e foram escolhidos novos membros que vieram valorizar e enriquecer toda a estrutura e ajudar-nos a cumprir todos os objetivos do Clube.

Quais são os principais objetivos desta nova direção?

O objetivo da nova direção é continuar todo o trabalho desenvolvido, principalmente nos últimos dois anos, para continuarmos a crescer na formação qualitativa e quantitativamente. Estabilizar o Clube a nível organizacional e a nível estrutural, para estarmos preparados para os desafios que surgirão e podermos ser ainda mais uma referência no concelho de Lousada na formação de jovens atletas.

Caracterize o atual momento da associação, em relação a modalidades e atletas.

Ao nível de atletas, temos tido um crescimento acentuado, principalmente nos escalões de Sub-7, Sub-8, Sub-9, Sub-10, Sub-11 e Sub-13, devido às diversas atividades organizadas nas últimas épocas, que foram centradas na comunidade e nas freguesias limítrofes, o que levou a uma grande angariação de atletas junto das escolas e associações locais.

A equipa sénior esteve muito próximo de conseguir a subida de divisão na época anterior. Será esse um dos principais objetivos a nível desportivo?

O nosso objetivo principal para a temporada que iniciou a 22 de julho, com o arranque dos trabalhos do plantel sénior, é fazer uma temporada ao nível da época passada e, se for possível, melhorar a posição alcançada.

Como vê o futuro da coletividade?

O Aparecida Futebol Clube é um clube onde os adeptos são muito bairristas e onde sofrem muito pelo clube. Tenho a certeza que, independentemente das pessoas que estiverem à frente do Clube, manter-se-á vivo e sempre em prol de todos os Aparecidenses.

Pelo que já conhece, quais serão as maiores dificuldades?

As nossas maiores dificuldades, apesar de o Clube ter sofrido um melhoramento das infraestruturas, com a construção da bancada coberta e colocação do relvado sintético, continua a ser a falta de condições ao nível das infraestruturas de apoio e de balneários, que nos limitam o nosso trabalho e o crescimento do Clube, principalmente nos escalões de formação, onde os nossos atletas não têm as melhores condições para a prática desportiva.

O que espera, nesta nova etapa, da comunidade local e das entidades públicas e privadas?

O Clube sempre esteve e sempre estará de portas abertas à comunidade local, pois faz parte da sua missão, enquanto associação desportiva, apoiar e promover a prática desportiva juntamente com outras associações da nossa Vila.
Ao nível das entidades públicas, só temos de agradecer todo apoio prestado pela Câmara Municipal de Lousada e pela Junta de Freguesia do Torno, e acreditamos que continuaremos a ter a ajuda necessária para colocar em prática as nossas ambições e projetos num futuro próximo.
A todos os patrocinadores e amigos do Clube, quero agradecer por todo o apoio que nos têm dado, pois sem eles era impossível termos um Clube forte e consolidado desde a formação até ao plantel principal.

Para finalizar, que mensagem gostaria de deixar aos sócios e simpatizantes?

Quero deixar uma palavra de apreço, em nome de toda a direção, aos sócios e adeptos, que sempre nos acompanham com uma enorme moldura humana e fazem com que, em todos os campos a que nos deslocamos, joguemos sempre em casa. Aos simpatizantes peço que nos apoiem, que se façam sócios, pois é a única forma de podermos crescermos de forma sustentada.

Comentários

Submeter Comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Artigos recentes

Portistas comentam eleições no FC do Porto

MAIORIA DEFENDE MUDANÇAS Nem só os partidos políticos estão em campanha eleitoral. Também o...

Bombos femininos crescem em Lousada

AS “BOMBÁSTICAS DE AVELEDA” No final do desfile do Carnaval de Lousada, todas aprumadas na...

“Câmara recusou sistema de rega inovador” (DR)

Ao abrigo do disposto nos artigos 24.º e 25.º da Lei da Imprensa, aprovada pela Lei n.º 2/99, de...

70.º aniversário do nascimento de um Grande Louzadense

MÁRIO FERNANDO RIBEIRO PACHECO FONSECA (1954-2012) «Gosto tanto de Lousada, que nela gosto de tudo...

Skaters queixam-se de perseguição da polícia Municipal para deixarem a “mítica” Praça do Bispo

FAMA DO LOCAL ONDE NASCEU O SKATE LOUSADENSE JÁ CHEGOU AO ESTRANGEIRO O fenómeno do skate...

Já começaram as movimentações para formar a Comissão de Festas

Romaria da Senhora Aparecida O artigo da anterior edição do nosso jornal, sobre a ausência de...

Editorial 115 | Silêncio

A 26 de fevereiro de 1954 nascia Mário Fernando Ribeiro Pacheco Fonseca, figura incontornável da...

Direção ameaça entregar chaves do clube se não houver acordo com autarquia

ASSOCIAÇÃO DESPORTIVA DE LOUSADA A ADL está em modo de «gestão a prazo», pois a atual Direção já...

Lousada recebeu entrega de prémios da AT Porto

Retomou-se, no passado dia 3 de Fevereiro, a habitual cerimónia de entrega de prémios da...

Peça de teatro promove a sensibilização e prevenção rodoviária nos mais novos

A nova edição da campanha de sensibilização, que transforma as crianças em agentes de segurança e...

Siga-nos nas redes sociais