por | 12 Ago, 2019 | O Garante da Gestão, Opinião

O assédio moral no trabalho marcado por atos/palavras

Cada vez mais presente e de mais impacto no mundo profissional, o assédio moral no trabalho ou mobbing, de natureza psicológica e/ou psicossocial, impera nas relações interpessoais entre (des)iguais categorias profissionais, de qualquer natureza, e as nossas empresas não são avessas à presença deste senão, de grave índole na vida dos profissionais e sentida nos mesmos, com consequências no Ser/Estar do profissional. Patente mais entre superiores a subordinados. Triste realidade que abafa as emoções, o desenvolvimento pessoal, interpessoal e produtivo nas empresas.

Face a uma realidade que esbarra o aceitável, transcende o profissional e coloca a vítima numa situação de debilidade, deteriorando a sua integridade moral, medidas políticas são importantes e de avanço neste contexto, que é uma realidade cruel, com resultância de insustentabilidade de progressão como Ser e como profissional, implicando um ambiente de trabalho hostil, humilhante ou desestabilizador nas vítimas e nas empresas. Nas vítimas sustém efeitos nefastos de saúde, afeta a sua confiança e o seu desempenho profissional, diminuindo a eficiência laboral e implicando afastamento do trabalho. Nas empresas provoca um incremento inusitado dos custos resultantes do aumento do absentismo, da redução abrupta de produtividade e de maiores taxas de rotatividade de pessoal.

É de marcar atenção redobrada para situações que aparentam sem significado algum, mas transportam em tempo e em execução o alicerce da presença do assédio.

A germinação do assédio no trabalho, quando verificada, a que fim se promulga e que intrínsecas variáveis? Tal é propenso, porque não existe na maioria das empresas medidas de abolição e atentas a respostas de situações ocorridas. A ignorância, o não atuar passa por pusilanimidade de todos que presenciam e temem a sua atuação. Com isto, não há nulidade do assédio que em muito destorça o Ser. Avulsa como situações de assédio uma cultura organizacional que não sanciona os comportamentos intimidativos, as transformações súbitas ao nível da organização, a insegurança no emprego; as relações insatisfatórias, as exigências de trabalho excessivas, os conflitos ao nível das funções desempenhadas e os comportamentos discriminatórios.

Para nulidade e combate de situações de assédio é crucial na empresa uma identificação dos riscos psicossociais, suster informação e formação nos seus colaboradores, incluindo os superiores. Realidade de enfoque nestes últimos, com o sentido, de que estes tudo podem (no geral) e esta forma de atuação implica o romper com o outro, com a vítima no progresso, na estabilidade que tanto anseia e que lhe estupram, podendo levar à sua desvinculação ao posto de trabalho. Mentalidades pretensiosas e encaradas como sendo o Mais, têm o retrocesso no outro, quando numa empresa procura-se cooperação e diálogo.

A vergonha e a humilhação a que tantos profissionais são sujeitos leva à existência de “perda do sentido”, à desvitalização psíquica, à dissonância cognitiva, à angústia momentânea e à depressão. O assédio atinge particularmente os jovens, no contexto do trabalho precário, transformados em “meros trabalhadores substituíveis” sem importância moral e fragrância científica.

A resposta ao assédio labuta em silêncio. A tentativa de se ser “o melhor/o mais” acaba por esbarrar na avidez e no tratamento aversivo do assédio nas empresas.

Atos/palavras marcam e fazem a diferença no desempenho profissional e no profissional. Sejamos e estejamos mais atentos e não alheios a situações como o assédio, que no todo corroem o profissional e as empresas.

Comentários

Submeter Comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Artigos recentes

Editorial 125 | O Gestor de Redes Sociais

Numa terra longínqua onde os emojis governam e os likes são moedas de troca, vive o temido Gestor...

LOUSADA RECEBE MAIOR FESTIVAL DE DRIFT DO PAÍS

O Eurocircuito da Costilha em Lousada será palco no final do mês da 11ª edição do Encontro...

Xadrez do Lousada Voleibol Clube com excelentes resultados no fim de semana

Esteban Dario Caro, xadrezista da secção de xadrez do Lousada Voleibol Clube venceu o VII Torneio...

Oficinoscópio assinala 10 anos de cinema de animação

No dia 10 de julho foi apresentado o livro Oficinoscópio, relativo aos 10 anos de Oficinas de...

AUTOR VISITA ALDAF E PROMOVE MOMENTO DE CULTURA PARA PESSOAS COM DEFICIÊNCIA EM LOUSADA

No passado dia 13 de junho a Associação Lousadense dos Deficientes, dos seus Amigos e Familiares...

Desvendando os Traços Antissociais

Os traços antissociais são confundidos por vários sintomas na linguagem coloquial, assim irei...

”Faz falta uma feira do livro”

GONÇALO SANTOS, ESCRITOR Chama-se Gonçalo Teles dos Santos, tem 44 anos, é natural de Sousela e...

A Casa Nobre No Concelho de Lousada

Tipologias - XVI | Elementos Decorativos II Os elementos decorativos, concebidos quase sempre em...

O discreto gigante da democracia lousadense

E DEPOIS D'ABRIL? [3] Lousada teve muitas pessoas de proa que embora sendo contra o regime...

Fim de Semana Cultural “Alma Magnetense” está de regresso

A Junta de Freguesia de Meinedo anuncia o regresso do Fim de Semana Cultural "Alma Magnetense",...

Siga-nos nas redes sociais