Juventude Mariana Vicentina a alimentar a fé e a ajudar o próximo em S. Miguel

Cátia Pinheiro nasceu a 5 de março de 1994, na freguesia de S. Miguel, concelho de Lousada, no seio de uma família católica, onde a vivência da fé lhe foi incutida desde cedo. Para além disso, a família sempre foi para si um pilar fundamental, transmitindo-lhe valores e apoiando-a.

No ano de 2008, foi convidada para pertencer ao grupo de jovens da Juventude Mariana Vicentina, de Lousada, S. Miguel. Convite que aceitou, com muitas expectativas, uma vez que desde pequena se deixou cativar por este grupo da paróquia e pelo seu carisma, transposto para as atividades realizadas.

Licenciada em enfermagem, abraçou o espírito de missão, que a levou até Moçambique com o projeto “Renascer com Esperança”. Fique a conhecer melhor esta jovem e a Juventude Mariana Vicentina.

Fale-nos um pouco da Juventude Mariana Vicentina.

A Juventude Mariana Vicentina (JMV) é uma associação que tem por objetivo acompanhar os jovens cristãos no crescimento da sua fé, até à maturidade cristã. A JMV é a mesma associação dos Filhos e Filhas de Maria, que teve origem nas aparições da Virgem Maria a Santa Catarina Labouré em 1830. Foi aprovada por Pio IX em 1847 e posteriormente confirmada por outras disposições da Santa Sé. A Juventude Mariana Vicentina existe em numerosos países do mundo, agrupando jovens, vinculados entre si por uma mesma mística mariana e um mesmo compromisso apostólico de estilo vicentino.

À JMV podem juntar-se todos os jovens, dos 15 aos 30 anos, e adultos comprometidos na formação e animação das atividades desenvolvidas.

Como nasceu o grupo Juventude Mariana Vicentina de S. Miguel?

O grupo JMV de Lousada, S.Miguel, nasceu em 1984 e por ele passaram muitos jovens até aos dias de hoje. São muitas as ações, do plano anual de atividades, que promovem o serviço ao próximo na nossa paróquia, como por exemplo a visita aos doentes e idosos. Ações que promovem a formação dos jovens, através de reuniões quinzenais de formação. Ações de partilha de experiências e testemunhos entre jovens de diferentes grupos, através dos encontros regionais e nacionais da JMV. Entre muitas outras atividades que nos permitem viver e celebrar a nossa fé.

Como nasceu este espírito de missão, que a levou até Moçambique?

Ao viver esta fé, também fui percebendo que ela nos capacita para aceitarmos desafios cada vez maiores, sendo que este pequeno grupo me proporcionou a vivência de todos os Encontros Internacionais da Família Vicentina e na Jornadas Mundiais da Juventude que decorreram desde 2011 em Madrid. Nestes encontros foi possível vivenciar a força juvenil, dos jovens “em saída” que aceitam o convite do Papa Francisco ao “sair do sofá”. Aguardando ansiosamente pela JMJ Lisboa em 2022.

Apesar deste meu percurso, e para a minha realização pessoal, também sempre me demonstrei muito empenhada no meu percurso académico e na realização do sonho de me licenciar em Enfermagem. Sonho que consegui concretizar em julho de 2016. Quando cresci passei a ver a enfermagem como uma missão, por uma causa, pelo próximo, por amor. A mesma missão que me cativou desde sempre e que hoje vivo!

O projeto de missão “Renascer para a Esperança” da JMV renasceu em setembro de 2016, sendo que este foi o momento certo, para embarcar e viver o sonho que desde cedo surgiu no meu percurso de vida.

Sente que há muitas pessoas a precisarem de vocês?

Desde sempre senti o impulso de ir ao encontro desse povo e, por isso, alegrada pelo espírito missionário que vi crescer na JMV, agarrei com as duas mãos esta oportunidade de partir em missão. Foi absolutamente surpreendente constatar a realidade das histórias que desde sempre ouvi com muita curiosidade e entusiasmo e ter mergulhado nos tantos sonhos que fui construindo. Foram 6 meses de uma vida cheia de sentido em que por vontade de Deus, o sonho se fez obra.

Desde logo, e conhecendo a realidade local, percebemos que o refeitório social seria uma das prioridades do projeto. Atualmente e com 4 missionários no terreno, para além das refeições, as crianças recebem apoio escolar, de higiene e ainda alguns cuidados de saúde.

O grupo da JMV de Lousada, S. Miguel, pretende continuar a viver esta fé no serviço do pobre, além-fronteiras, sendo uma das maiores dificuldades reconhecer os pobres do séc. XXI, e saber como e com que meios chegar até eles.

Que atividades têm promovido e com que objetivo?

Neste mês de outubro, mês missionário, e respondendo ao apelo do Papa Francisco da sua mensagem para do dia mundial das missões 2019, “Quem ama, põe-se em movimento, sente-se impelido para fora de si mesmo” o nosso grupo desenvolve várias ações no âmbito da caridade e missão.

Desta forma realizamos no passado domingo, dia 20 de outubro, a III Caminhada Missionária, inserida no programa municipal de caminhadas do município de Lousada. Uma caminhada de 8 km, pelas ruas da Freguesia de S. Miguel em que o valor angariado através das 450 inscrições reverteu equitativamente para o projeto de missão JMV “Renascer para a Esperança- Moçambique” e para a associação Kastelo.

Ainda no domingo, nesse dia reconhecido como o dia mundial das missões, o nosso grupo proporcionou aos idosos e alguns doentes uma tarde de convívio, reencontros e alegria num encontro realizado no salão paroquial de S. Miguel.

Todas estas experiências de missão me mostraram que ser JMV é ter uma vida cheia de sentido, é saber que posso tornar o dia de alguém mais completo, que posso levar alguma alegria onde falte e que posso fazer o pouco que para alguém é tudo.

Comentários

Submeter Comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Artigos recentes

Editorial 125 | O Gestor de Redes Sociais

Numa terra longínqua onde os emojis governam e os likes são moedas de troca, vive o temido Gestor...

LOUSADA RECEBE MAIOR FESTIVAL DE DRIFT DO PAÍS

O Eurocircuito da Costilha em Lousada será palco no final do mês da 11ª edição do Encontro...

Xadrez do Lousada Voleibol Clube com excelentes resultados no fim de semana

Esteban Dario Caro, xadrezista da secção de xadrez do Lousada Voleibol Clube venceu o VII Torneio...

Oficinoscópio assinala 10 anos de cinema de animação

No dia 10 de julho foi apresentado o livro Oficinoscópio, relativo aos 10 anos de Oficinas de...

AUTOR VISITA ALDAF E PROMOVE MOMENTO DE CULTURA PARA PESSOAS COM DEFICIÊNCIA EM LOUSADA

No passado dia 13 de junho a Associação Lousadense dos Deficientes, dos seus Amigos e Familiares...

Desvendando os Traços Antissociais

Os traços antissociais são confundidos por vários sintomas na linguagem coloquial, assim irei...

”Faz falta uma feira do livro”

GONÇALO SANTOS, ESCRITOR Chama-se Gonçalo Teles dos Santos, tem 44 anos, é natural de Sousela e...

A Casa Nobre No Concelho de Lousada

Tipologias - XVI | Elementos Decorativos II Os elementos decorativos, concebidos quase sempre em...

O discreto gigante da democracia lousadense

E DEPOIS D'ABRIL? [3] Lousada teve muitas pessoas de proa que embora sendo contra o regime...

Fim de Semana Cultural “Alma Magnetense” está de regresso

A Junta de Freguesia de Meinedo anuncia o regresso do Fim de Semana Cultural "Alma Magnetense",...

Siga-nos nas redes sociais