por | 10 Dez, 2019 | Opinião, Sociedade

Cuidar do que recebemos – Cuidar da Casa Comum

Ainda na sequência da ideia do significado da palavra património, aquilo que recebemos do Pai …

Não posso desde já referir a importância do que acontece por estes dias e citar António Guterres, aquando de última Cimeira das Nações Unidas, “As pessoas acreditam no espírito e nas ideias que nos unem, acreditam nas Nações Unidas. Mas acreditam em nós? Eles acreditam que os líderes darão prioridade às pessoas? Nós, líderes, devemos agir pelas pessoas.”

Iniciou ontem em Madrid a 25.ª Conferência das Partes (COP25) da Convenção-Quadro das Nações Unidas sobre as Alterações Climáticas, mais uma Cimeira do Clima da ONU, esta sob o signo da emergência em que vivemos, assumindo à partida que esta não pode ser mais uma oportunidade perdida … Se existe um conjunto de líderes e de cidadãos comuns que nega a situação de catástrofe, existe por outro lado os que consideram que já nada há a fazer. O negacionismo e a descrença são sem dúvida os sentimentos mais perigosos, necessitam de ser contrariados, o que torna urgente demonstrar que acreditamos que podemos inverter o percurso. Se o avanço tecnológico é uma realidade e, se o caminho de inversão está traçado pela comunidade científica, há que ter esperança, mas uma esperança ativa, ativa de ação …

O caminho só tem uma linha … cuidar do que herdei do Pai, pelo compromisso que tenho de deixar para os outros, nessa enorme responsabilidade de mudar de atitude, sim sei … é difícil … quando penso nestas questões surgem me sempre as palavras escritas pelo Papa Francisco na sua Encíclica Laudato Si – sobre o cuidado da Casa Comum. Isso Casa Comum … não a minha, não a tua, … mas a NOSSA …

Muitos dos slogans referem-se que o Planeta Terra sofre, que não vai sobreviver, que vai desaparecer … outra recordação surge na minha mente, a dos dinossauros … a verdade é que a Terra sobreviveu, os dinossauros é que não, sobreviverá novamente … nós é que não …

Que caminho? Em primeiro lugar não estamos a começar, aliás se olharmos em redor são inúmeros os bons exemplos, públicos, privados, coletivos, individuais, … segundo sabemos o que todos temos que fazer – mudar de atitude – rápido, mas sabemos. Como disse o Secretário-geral das Nações Unidas, “Precisamos de uma mudança rápida e profunda no modo como fazemos negócios, como criamos energia, como construímos cidades, e como alimentamos o mundo. Se não mudarmos urgentemente o nosso modo de vida, pomos em risco a própria vida” … mas na pragmática clarividência sabemos que não é pelo mais complexo e grandioso, pois afinal, como nos diz o Papa Francisco, “Uma ecologia integral é feita também de simples gestos quotidianos, pelos quais quebramos a lógica da violência, da exploração, do egoísmo. Pelo contrário, o mundo do consumo exacerbado é, simultaneamente, o mundo que maltrata a vida em todas as suas formas.”

Comecemos por pequenas mudanças em nós, esse será talvez o segredo para começar …

Comentários

Submeter Comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Artigos recentes

Os pais tiveram receio da sua escolha mas deram todo o apoio

LUÍS MELO, ARTISTA PLÁSTICO E PROFESSOR DE ARTES O curso de Artes da Escola Secundária de Lousada...

Não se tratou apenas de guerra – a nostalgia dos combatentes em África

LOUSADENSES NO ULTRAMAR (PARTE 2) Nem tudo foi mau, dizem os que tentam perspetivar algo de...

Resistência e Liberdade» obteve 3.º Prémio no Concurso «25 de Abril, um projeto de Liberdade»

Alunos e professores do AE Dr. Mário Fonseca, envolvidos no Projeto «Resistência e Liberdade»,...

Mostra coletiva de artistas revela vitalidade da arte lousadense

NA BIBLIOTECA MUNICIPAL E CAIS CULTURAL DE CAÍDE DE REI A diversidade de estilos e técnicas são...

Uma centena de jovens na Final Regional do Xadrez Escolar do Norte na Escola Secundária de Lousada

A Escola Secundária de Lousada acolheu, no dia 10 de maio, a final da modalidade de xadrez da...

Sacrifício, Liberdade e Memória da Revolução dos Cravos

No ano em que se comemora os cinquenta anos da Revolução dos Cravos importa mergulhar no passado...

Iluminar Lousada – Uma Luz Solidária para a Cooperativa Lousavidas

O Iluminar Lousada vai realizar-se no dia 18 de maio, e as velas solidárias estão já estão à...

Pimenta na censura dos outros, na minha liberdade é refresco

No passado dia 25 de Abril celebraram-se os 50 anos sobre a revolução que derrubou o regime...

Vinhos das Caves do Monte projetam Lousada no mundo

Freitas de Balteiro: O embrião de uma tradição Em 1947, nas terras férteis da freguesia de...

Caixa Agrícola rejeita lista de sócios candidatos a eleições: Lista avança com Providência Cautelar

A Caixa de Crédito Agrícola de Terras do Sousa, Ave, Basto e Tâmega (CCAM TSABT) está envolta em...

Siga-nos nas redes sociais