Nenhum dia é festivo por ter já nascido assim: seria igualzinho aos outros se não fôssemos nós a «fazê-lo» diferente” in Cadernos de Lanzarote, José Saramago

Nunca como este ano foi tão essencial refletir sobre a importância da comunidade e das suas manifestações coletivas e identitárias. Se, como afirmou Aristóteles, “o homem é por natureza um animal social”, então, as suas tradições locais comunitárias comprovam, em definitivo, essa sua condição plural e esse sentimento de pertença ao grupo.
E o que mais nos caracterizará como lousadenses que esta nossa Grandiosa Festa?
A história recente do Concelho, funde-se indissociavelmente com a Vila de Lousada e esta, por conseguinte, com o templo que a entrona e as festas que lhe estão associadas.
Instituídas ainda no esplendor oitocentista, desde 1928 que Lousada não assistia a um ano sem Festas Grandes. Ao longo de quase 90 anos, nenhuma outra adversidade parou a vontade lousadense em festejar, pública e coletivamente, esta expressão do seu ser coletivo.
Por isso, este não podia ser senão o momento para exprimir uma ode a esta terra, suas gentes, instituições e centenária tradição.
Todos nós, enquanto lousadenses, vivemos com expectativa os meses e semanas que antecedem o último fim-de-semana de Julho. Há um crescendo que se vai apoderando da Vila e das mentes de todos nós. Não só daqueles que, incansavelmente, trabalham para levar a cabo as festividades, mas sobretudo de tantos que por elas aguardam com o intuito de as viver ao máximo.
O sucesso e magnitude das Festas Grandes em honra do Sr. dos Aflitos, reside precisamente na extensividade do seu nome e nos contextos que consegue incluir. São, antes e acima de tudo, uma Festa. E festa que se preze procura contagiar no seu ambiente festivo o máximo possível de pessoas. As vertentes religiosa e profana complementam-se, aliando a intemporalidade da tradição cristã com o mutável conceito de diversão popular. Afinal, como referiu o estoico Epicteto “em toda a festa há dois convivas a entreter – o corpo e a alma”.
É essa correlação de realidades que tornam a nossa Festa única, não só para lousadenses, mas também para todos aqueles que, anualmente, visitam, partilham e vivem esta nossa Festa.
Uma Festa eclética, que conjuga o espírito boémio juvenil, à oferta diversificada de cultura musical, que alia o arrufo tradicional dos bombos, ao compassado ritmado do samba e das marchas luminosas… Que contrasta o clamor agitado das ruas noturnas, ao silêncio de preces evocadas no templo, que contrapõe a imponência explosiva de espetáculos pirotécnicos, à desconcertante humanidade do olhar suplicante de cristo.
Este ano… estas festas… ficarão para a história. Quem sabe não redescobrimos, como sugere Saramago, a importância de a tornar dias iguais aos outros em algo diferente.

Comentários

Submeter Comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Artigos recentes

Tanto talento e humildade numa pessoa só

JOÃO DA MOTA TEIXEIRA Este cristelense de 78 anos tem tanto de discreto e humilde como de talento...

Estradas esburacadas 

ACONTECE UM POUCO POR TODO O CONCELHO As chuvas intensas que caíram neste inverno contribuíram...

“O Julgamento do Natal”

Nos dias 22 e 23 de março, a Nova Oficina de Teatro e Coral de Lousada, para finalizar o Dia do...

COPAGRI CONTINUA COM LITÍGIO INTERNO

“Arrumar a casa” para investir no supermercado, mas anterior direção insiste com ação judicial Por...

Adriano Rafael Moreira é o novo Secretário de Estado do Trabalho

TERCEIRO LOUSADENSE NUM GOVERNO CONSTITUCIONAL A tomada de posse de Adriano Rafael Moreira,...

Editorial 118 | Um lousadense no Governo de Portugal

Não é todos os dias que temos um lousadense no Governo de Portugal, sendo, por isso, motivo de...

~ in memoriam ~

Armando José Gonçalves da Costa (1946 – 2024) Faleceu a 26 de Março o estimado dono do Mini...

Lousada recebe o Mega Sprinter

Lousada recebe, nos dias 19 e 20 de abril, o XVIII Mega Sprinter. A atividade envolve 25 comitivas...

Seminário da Unidas – Rede Intermunicipal de Apoio à Vítima do Douro, Tâmega e Sousa

Lousada recebe o III Seminário da Unidas — Rede Intermunicipal de Apoio à Vítima do Douro, Tâmega...

Noites da Juventude apresentam We Are

O segundo evento no âmbito das Noites da Juventude realiza-se dia 12 de abril. A partir das 22h00,...

Siga-nos nas redes sociais