por | 20 Out, 2022 | Editorial

Editorial da edição 83º de 20 de outubro de 2022

Vinho…lousadense!

Desde a antiguidade clássica, que a vindima sendo época da colheita das uvas, é celebrada como se de uma festa se tratasse, pois era o culminar do trabalho de um ano inteiro que, naquele momento, simbolicamente se festejava. No passado recente, as vindimas ocorriam entre setembro e outubro, dependendo obviamente das temperaturas do verão e da quantidade de pluviosidade do ano. Atualmente, já começam em agosto, mesmo na nossa zona de vinho verde, fruto das mudanças do clima, que matura a uva bem mais cedo. No passado, uma forma de prever a melhor altura para as vindimas era através de um método popular, que consistia em verificar quando murchavam os pés das uvas e as peles dos bagos começavam a contrair.

Antes das vindimas há todo um trabalho que por vezes se ignora e que é fundamental para termos um ótimo néctar nos nossos copos. Os enólogos recolhem e analisam amostragens para controlar a maturação das uvas, assim como a acidez, peso e cor. É necessário encontrar o grau de acidez indicado porque com o passar do tempo os ácidos transformam-se em açúcares, o que leva a um aumento do álcool. Cabe depois aos produtores, em função da casta, determinar a relação que mais lhes convém em função do tipo de vinho que pretendem produzir. Posteriormente realiza-se o transporte dos cachos nas melhores condições evitando assim a fermentação antes do tempo. Isto tudo representa uma nova dinâmica na produção do vinho, que alguns de nós desconhecemos.

O ecoturismo tem sido outra oportunidade para os produtores de vinho potenciar as suas quintas, pois há quem procure a aventura de participar no processo de colher manualmente as uvas no meio dos vinhedos, onde ainda muitos homens e mulheres fazem apanha manual. Paralelamente existem as provas de vinho, a restauração e a hotelaria, que são receitas fundamentais para o equilíbrio financeiro de muitas delas.

O Louzadense releva dois grandes produtores de vinho lousadense. A engenheira Joana de Castro, da Quinta de Lourosa e o engenheiro Manuel Oliveira, da Casa da Bouça. Estes dois produtores têm aumentado a sua área de produção, bem como a sua qualidade, não tendo qualquer problema em escoar o seu produto.

Sérgio Silva é o “Grande Louzadense” desta edição. Jornalista bastante conhecido da nossa praça. Atual diretor do jornal TVS tem sido um excelente divulgador da nossa Lousada. Foi desportista e dirigente desportivo na modalidade do hóqueis em campo. Homem de personalidade bem vincada, não foge a uma discussão sempre que confrontado por algo que lhe desagrada. 

Filipe Costa é um empreendedor lousadense, com formação em engenharia mecânica e com uma vertente altruísta na sua atividade social. Continua o apadrinhamento, que a sua mãe iniciou na escola de Figueiras e será o próximo presidente da comissão de Festas em Honra do Senhor do Aflitos, tendo já participado na comissão deste ano.

Fausto Oliveira é um dos presidentes da junta, nomeadamente do agrupamento de freguesias de Silvares, Pias, Nogueira e Alvarenga, que já não poderá recandidatar-se mais, fruto da limitação de mandatos. É um dos presidentes, que mais experiência tem no cargo, pois já o tinha sido durante vários anos, apenas da freguesia de Silvares.

Duarte Camelo é mais um jovem prodígio do automobilismo lousadense. Apenas com 15 anos e a correr pelo segundo ano consecutivo, já é campeão na sua categoria de Rally cross, antes da última prova, que será este fim de semana em Lousada.

A Lousavidas é uma cooperativa de solidariedade social, sem fins lucrativos, fundada em junho de 2014, sedeada em Lousada e tem por missão melhorar a qualidade de vida das pessoas com necessidades especiais e das suas famílias. 

Continuem a seguir-nos!

Boa leitura!

Comentários

Submeter Comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Artigos recentes

Editorial 125 | O Gestor de Redes Sociais

Numa terra longínqua onde os emojis governam e os likes são moedas de troca, vive o temido Gestor...

LOUSADA RECEBE MAIOR FESTIVAL DE DRIFT DO PAÍS

O Eurocircuito da Costilha em Lousada será palco no final do mês da 11ª edição do Encontro...

Xadrez do Lousada Voleibol Clube com excelentes resultados no fim de semana

Esteban Dario Caro, xadrezista da secção de xadrez do Lousada Voleibol Clube venceu o VII Torneio...

Oficinoscópio assinala 10 anos de cinema de animação

No dia 10 de julho foi apresentado o livro Oficinoscópio, relativo aos 10 anos de Oficinas de...

AUTOR VISITA ALDAF E PROMOVE MOMENTO DE CULTURA PARA PESSOAS COM DEFICIÊNCIA EM LOUSADA

No passado dia 13 de junho a Associação Lousadense dos Deficientes, dos seus Amigos e Familiares...

Desvendando os Traços Antissociais

Os traços antissociais são confundidos por vários sintomas na linguagem coloquial, assim irei...

”Faz falta uma feira do livro”

GONÇALO SANTOS, ESCRITOR Chama-se Gonçalo Teles dos Santos, tem 44 anos, é natural de Sousela e...

A Casa Nobre No Concelho de Lousada

Tipologias - XVI | Elementos Decorativos II Os elementos decorativos, concebidos quase sempre em...

O discreto gigante da democracia lousadense

E DEPOIS D'ABRIL? [3] Lousada teve muitas pessoas de proa que embora sendo contra o regime...

Fim de Semana Cultural “Alma Magnetense” está de regresso

A Junta de Freguesia de Meinedo anuncia o regresso do Fim de Semana Cultural "Alma Magnetense",...

Siga-nos nas redes sociais