by | Nov 28, 2022 | Canto do saber, Opinião | 1 comment

O canto da Sabedoria, da Beleza e da Força

Canto do saber 50

Este é o artigo número 50, da rubrica “Canto do Saber”, portanto o meu quinquagésimo para o jornal “O Louzadense”. Trata-se de um número bonito e importante. Todavia, a beleza e importância são características do projeto que acompanho, com o meu contributo, desde o início. 

Estas, não são palavras de circunstância, mas de constatação da força de um empreendimento que, no geral, tem mostrado muito daquilo que existe ou é produzido de bom a partir deste belo concelho que é Lousada: o bairrismo é não só uma das especificidades do jornal, é um objetivo. O tom utilizado, tem sido, esmagadoramente, pela positiva, algo que na imprensa, dita regional, não é propriamente uma originalidade, de todo o modo, no que toca ao “ O Louzadense” há que registar a peculiaridade do sublinhar e, dessa maneira, contribuir para o aumento da estima de quem tem qualquer ligação esta terra. 

Não é tarefa fácil, o acesso a recursos por parte da imprensa local, implica dedicação a vários níveis e, sobretudo, uma enorme dificuldade de independência face aos poderes instalados – não falo apenas do político, incluo todo e qualquer foco de poder por pequeno que seja -, mas poder-se-á admitir, sem grande esforço, que este jornal persegue, com perseverança, esse desiderato. Isto implica sabedoria, que assim se junta à beleza e à importância que se traduz em força. Se refletirmos um pouco, é a trilogia que comanda o mundo, que determina a vida de cada ser humano: a sabedoria, a força e a beleza.

No que me diz respeito, a intenção com o canto do saber foi e continua a ser a de acrescentar ou, pelo menos, relembrar algum conhecimento destinado a espicaçar a capacidade crítica que qualquer indivíduo possui, entretanto, muitas vezes, adormecida mercê de todo o conjunto de estímulos proporcionados, precisamente, com este propósito. Não é a rubrica mais lida, não tem fotografias, raramente fala especificamente de Lousada e pensar é sempre uma chatice – não o afirmo com ironia: não se destina a esta franja da população – seja qual for a compartimentação -, afirma-se como um dos redutos do saber. 

Afirmar uma coluna como reduto, pode parecer presunçoso, no entanto, a conjetura atual lança-nos desafios que, na minha perspetiva, só podem ser abraçados a partir de um combate cerrado à ignorância e pela igualdade de direitos, pondo de parte a tolerância – na sua essência inimiga da igualdade, pois pressupõe superioridade para se possa ser tolerante. O engajamento é, portanto, neste combate: para qualquer jornal a audiência é primordial – dela depende a sua subsistência, para a luta: um só leitor já é uma vitória, um leitor que reflita no que leu: um impulso no sentido de vencer a guerra pelos valores que vemos ser colocados em perigo nos dias que vivemos. 

Este artigo cinquenta, reforça essa trindade tão essencial e maravilhosa da sabedoria , beleza e força. Sabedoria, conhecimento que todos os dias reforço e tento colocar nos artigos de modo a adicionar valor. Beleza, numa certa forma de escrever, de explicitar as ideias, por vezes, de forma densa, na essencialidade de dar cor e afastar a dicotomia da visão do preto e branco: o mundo é complexo, os matizes enchem-no de intensidade, dando à humanidade uma perceção, sem par, naquilo que a rodeia. Força, porque as palavras escritas em cada artigo propõem um impulso, ampliado pelo fluxo alimentado pelo “O Louzadense”: a força do inconformismo perante uma realidade, a momentos, tão serenamente opressora num dia-a-dia que se processa cada vez mais rapidamente.

1 Comment

  1. Joaquim figueiredo

    Parabéns amigo pela beleza do texto e, sobretudo, pela força que dás à ideia de ser local mas pensar global. É preciso muita sabedoria. Abraço fraterno

    Reply

Submit a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Artigos recentes

À Maneira de Andreia Moreira

A paralisia cerebral foi-lhe diagnosticada. Vinte e oito anos depois, Andreia Moreira, é psicóloga...

Pedido de desculpa: Marcos Ferreira

O meu nome é Marcos Rafael Sousa Ferreira, sou Lousadense, casado, pai de uma criança com 16 meses...

Nota de Imprensa: Recandidatura de Ana Leal Moreira à Presidência da JSD Lousada

“Passado, Presente, Lousada.” Sou recandidata à Presidência da JSD Lousada. A maior e melhor...

Custou mais de 700 mil euros e divide opiniões: Central de Autocarros está encerrada

Está encerrada a construção de um dos empreendimentos mais falados da atualidade, a Central de...

Luís Machado: O cantor popular

Luís Paulo da Silva Machado Pacheco, com 51 anos, nasceu e cresceu em Pias. Desde cedo, começou a...

O 6º aniversário do Moto Clube Senhora Aparecida 

O Presidente, Pedro Rodrigues, e o Presidente da Assembleia, João Carvalho concederam  uma...

Falecimento de Paulo Afonso da Cunha (Carvalheiras)

Faleceu hoje, com 93 anos, antigo vereador da Câmara Municipal de Lousada, fundador da Associação...

Um dos serviços mais antigos de Lousada: Táxis vivem tempos de incerteza

A praça de táxis lousadense é composta por 11 automóveis, divididos por dois locais: cinco na Rua...

Masters da Associação Desportiva de Lousada:  Os Campeões de Série

Antero Correia, o diretor dos Masters, Pedro Leal, o treinador dos Masters e Hélder Nunes, o...

Editorial da edição 89º de 19 de janeiro de 2023

Lousada, terra amada! O jornal O Louzadense é, já, património da história local. A maturidade...

Siga-nos nas redes sociais