por | 8 Mar, 2024 | Abril Louzadense, Cultura

AS LOUZADENSES DE ABRIL

ABRIL LOUZADENSE (XI)

Quando chegou Abril no ano de 1974, a mulher de Lousada de um modo geral não tinha um papel ativo na vida pública. Vivia-se numa sociedade profusamente tradicionalista e vincadamente patriarcal. Entre algumas exceções estavam professoras primárias, que manifestavam opinião e alguma participação ativa na vida pública. Eram os casos de Emiliana Carvalho, mãe de Júlia Guimarães, a primeira mulher a entrar para a Assembleia Municipal, em 1976. Outra pioneira foi Maria de Jesus, de Boim, a primeira mulher a liderar uma Junta de Freguesia no concelho de Lousada.

Nos tempos conturbados da política após o 25 de Abril, Lousada teve uma mulher na Assembleia Municipal: Maria Júlia Nunes Simões de Carvalho Guimarães, licenciada em Engenharia Química. Tal como a sua mãe, Emiliana Carvalho, que foi professora em Meinedo nas décadas de 1940 e 1950, também Júlia aderiu ao Partido Comunista. Esta casou-se com Joaquim Gaspar Guimarães, da Casa do Rio (S. Fins do Torno), igualmente militante do PCP. No livro “O Séc. XX em Lousada” (1999,CML), Júlia Guimarães recorda que as sessões na assembleia municipal “duravam até às quatro da manhã”. A primeira mulher naquele órgão focou nessa entrevista diversas dificuldades que a “bancada” comunista sentia naquele órgão autárquico, destacando “o preconceito e a má vontade que havia em relação ao Dr. Arnaldo Mesquita. Cada vez que ele apresentava uma proposta, era imediatamente rejeitada em peso. Porém fazia outra proposta com a mesma substância mas “mais suave” e era aprovada. Algumas vezes por aclamação. Vinte e cinco anos mais tarde isso parece hilariante. Na altura não tinha graça. Lutar contra o imobilismo e a ignorância pode ser extenuante”.

Com o marido, Joaquim Gaspar Guimarães, estiveram em Cernadelo “a fiscalizar uma mesa de voto, nas eleições autárquicas de 1976, quando os sinos tocaram a rebate para reunir uma multidão com más intenções e foi necessário manter o sangue frio, chamar as Forças Armadas de Penafiel”. O marido teve que puxar de pistola. Saíram ilesos no corpo, mas feridos no orgulho. A antiga partidária comunista disse na ocasião que aquelas pessoas “estavam dispostas a «chegar-me a roupa ao pêlo»” e recorda que “como tinha um ar bastante jovem, pensaram que me intimidavam”. Entre as boas recordações, gostava de relembrar uma pessoa que deu um “contributo bastante válido e importante” na democratização do concelho de Lousada: Alcino Malheiro, de Meinedo, que ajudou a organizar campanhas, mesas de voto e sessões de esclarecimento. Estava sempre disponível e tinha um grande sentido moral. Merece todo o nosso respeito”. Durante dois mandatos, Júlia Guimarães deslocou-se frequentemente do Porto para Lousada para intervir nas Assembleias Municipais, onde era Secretária. “O cansaço começou a instalar-se. Estava aqui, muitas vezes, até às quatro da manhã e às oito e meia estava a dar aulas num liceu do Porto. A par disso mantinha atividade sindical, o papel de mãe, de esposa e dona de casa”, recorda. No princípio da década de oitenta desistiu da política ativa, mantendo-se na atividade sindical.

Fazia parte dos serões da família Guimarães o convívio com um grupo de militares que viria a ocupar o Rádio Clube Português (RCP), de onde se destacavam pessoas como o então Capitão Costa Neves e o Major Sacramento Gomes, que mais tarde, em Colares (Sintra) discutiram os últimos pormenores da revolução. Nesse dia o capitão Costa Neves pediu emprestado, a Júlia Guimarães, o disco “Grândola Vila Morena” do Zeca Afonso. Precisamente o que viria a tocar no RCP, às 2 horas da madrugada do dia 25 de Abril, servindo de segunda senha ao movimento revolucionário.

Outra mulher que se destacou na década de 1970 neste concelho foi Maria de Jesus Ferreira Pinto. Foi a primeira presidente de junta no concelho de Lousada.

Frequentou o liceu Eça de Queirós e orgulhava-se de nunca ter reprovado apesar de algumas ausências prolongadas nas aulas por problemas de saúde. Aos 18 anos começou a lecionar no ensino primário.

Fez parte da lista do Partido Social Democrata, que ganhou as eleições de 1976 em Boim, sendo eleita presidente da Junta de Freguesia. Numa época ainda marcada por fortes preconceitos e acentuados valores tradicionalistas, não era fácil uma mulher estar na política e muito menos na liderança de uma Junta. Além desses obstáculos, Maria de Jesus tinha uma família grande e era professora. Com base em tudo isso acabou por resignar ao mandato.

Foi professora durante 40 anos, ao longo dos quais sobressaiu uma imensa solidariedade para com os mais necessitados. Sempre que se afigurava possível fazer serviço cívico lá ia ela. Ficaram famosas as suas andanças pela freguesia distribuindo injeções e vacinas nas campanhas estatais de erradicação de problemas de saúde. O seu trabalho de professora era uma autêntica profissão de fé e dedicava-se ao ensino com empenho absoluto.

Copyright 2024 O Louzadense_Helena Oliveira

Comentários

Submeter Comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Artigos recentes

Piscinas sobrelotadas: expandir ou construir?

EMPREENDIMENTO AQUÁTICO TEM 27 ANOS As piscinas de Lousada foram inauguradas em 1997, numa altura...

Rezar por mais saúde e menos guerras

A PROCISSÃO DE VELAS É UM SINAL DOS TEMPOS Em maio realizam-se as procissões de velas. Os...

LADEC Celebra 14.º Aniversário com Jantar Convívio

No passado dia 18, a LADEC - Lousada Associação de Eventos Culturais comemorou o seu 14.º...

Hugo Regadas Vence a Internacional XCO Super Cup

No passado domingo, em Vila do Conde, o lousadense Hugo Regadas, a competir pela equipa Rompe...

Editorial 121 | Lousada é Grande

Lousada, terra de história e tradição, ostenta com orgulho a sua grandeza. O nosso Torrão, que há...

Lousada Junior Cup: Título da primeira prova ficou em casa

O português João Dinis Silva conquistou a primeira prova da Lousada Junior Cup, depois de derrotar...

Lousada ao rubro na Super Especial do Rally de Portugal

A 57º edição do Rally de Portugal trouxe a Lousada os pilotos do Campeonato do Mundo de Ralis...

DIALLEY – Agência de Marketing em Lousada

O nome foi inspirado na Diagon Alley, um local emblemático da saga Harry Potter, da qual Sofia...

Apresentação da trilogia “As Aventuras da Maria” encanta público

No passado dia 11, a Assembleia Louzadense acolheu a apresentação da trilogia "As Aventuras da...

Luís Santos é mandatário da candidatura da Aliança Democrática em Lousada

A candidatura da Aliança Democrática (AD) em Lousada terá como mandatário Luís Santos, Coordenador...

Siga-nos nas redes sociais