por | 16 Mar, 2020 | Desporto, Grandes Louzadenses

O hóquei na AD Lousada surgiu em 1967 por iniciativa de Jaime Ferreira, que reuniu um grupo de lousadenses e formou a primeira equipa. Apesar das dificuldades que surgiram ao longos dos anos, o hóquei manteve sempre uma grande dinâmica ao longo dos seus 53 anos de existência, sendo esta a modalidade que mais títulos (nacionais e internacionais) trouxe para Lousada.

Vítor Valinhas, de 56 anos, é o presidente da AD Lousada Hockey. Iniciou-me nesta associação como praticante aos 17 anos. Jogou até aos 42 anos, tendo deixado de jogar em 2006. A partir dessa altura, tem desempenhado as funções de dirigente. São quase quatro décadas ligado ao hóquei.
Leia a entrevista que se segue e fique a conhecer melhor a AD Lousada Hockey.

Caracterize o atual momento da associação.

A AD Lousada Hockey é uma referência no hóquei nacional, sendo dos clubes ativos na modalidade o que tem melhor e maior historial. Neste momento, o clube tem cerca de 80 atletas, sendo que em anos recentes esse número era muito superior. Realce para o facto de o clube apresentar, na presente época desportiva, duas equipas a competir nos campeonatos nacionais de campo e indoor.

Quais são os principais objetivos para o futuro?

O objetivo para o futuro passa por aumentar o número de atletas. Teremos, com a ajuda da FP Hóquei e do Município, de tentar implementar o hóquei nas escolas. E essa será, com toda a certeza, a melhor forma de aumentar o número de atletas.

A equipa sénior venceu o 14º título na variante indoor, sendo o 4º (Tetra) consecutivo. Quais são as razões para este sucesso desportivo?

Nos últimos anos, a equipa sénior tem vencido inúmeras competições, não só nacionais como internacionais. As razões do sucesso são várias, começando pela qualidade técnica das nossas equipas (atletas e treinadores), pela dedicação e empenho que colocam na prática desta modalidade e também pela qualidade dos equipamentos desportivos, que nos tem permitido evoluir. Tudo isto somado torna mais fácil o êxito, a obtenção de resultados, e daí a conquista recente do 14.º título do hóquei indoor.

Quais foram os sentimentos nesta recente vitória?

O objetivo traçado no início do ano era estar nas decisões de todas as provas nacionais. Na variante indoor, somos, pelo historial do clube, uma equipa a ter em conta. E a vitória alcançada traz consigo um sentimento de alegria imensa, não só pelas dificuldades que tivemos de superar na final da competição, mas porque a vontade e o querer ganhar estão sempre presentes na filosofia deste clube.

Quais são as maiores dificuldades do clube?

São várias as dificuldades do clube, mas sobretudo financeiras e humanas. Financeiras porque esta não é uma modalidade barata em termos de equipamentos para a praticar. A titulo de exemplo: equipar um guarda- redes tem um custo aproximado de 2000 €. Na parte humana, tem a ver com o facto de haver pouca gente envolvida com o clube, quer no campo técnico como diretivo. Só com mais gente envolvida na parte técnica é possível desenvolver um trabalho que permita a captação de mais atletas jovens, mas também terá de haver um suporte diretivo por trás, e para isso será necessário que haja mais pessoas envolvidas.

Como vê o futuro da vossa coletividade?

O futuro da nossa coletividade será aquele que os hoquistas quiserem. E quando digo “hoquistas”, refiro-me àqueles que neste momento ainda jogam e também aqueles aos que já não estão no ativo. Como disse atrás, não é possível desenvolver um bom trabalho sem suporte humano e, no momento, existe pouca gente disposta a colaborar. Esperemos que, num futuro muito breve, a situação se altere, até porque todos somos poucos para alavancar o clube e o hóquei em Lousada.

O Juventude Hóquei Clube suspendeu a atividade. Quais são as consequências para a modalidade e para o hóquei em Lousada desta desistência?

É sempre mau quando uma equipa suspende a sua atividade e, no caso do Juventude HC, sentimos ainda mais porque era um clube de Lousada e que recentemente tinha obtido bons resultados. Esperamos que dentro em breve seja possível o clube reativar a sua atividade, ajudando a dar um novo impulso à modalidade no nosso concelho.

São poucas as equipas a praticar este hóquei. Como vê o futuro da modalidade?

O futuro terá de ser forçosamente melhor que o presente. As equipas são cada vez menos, mas todos os envolvidos na modalidade têm de trabalhar no sentido de aumentar o número de atletas. Seria bom ver alguns clubes a reativar o hóquei. Neste momento, a FP Hóquei tem apostado em ações de divulgação em escolas de diversas localidades. Esperamos que essa estratégia dê os seus frutos e permita o surgimento de novos núcleos e equipas.

A autarquia de Lousada tem apostado no hóquei. Ainda recentemente fez um investimento substituindo o piso sintético. Sentem a responsabilidade desta aposta da autarquia na modalidade?

O investimento no novo piso sintético teria de ser feito, até porque o antigo já tinha dezasseis anos e já estava em fim de vida. A autarquia, que apoia o desporto lousadense e não só o hóquei, entendeu por bem fazer a substituição do piso e a nossa responsabilidade enquanto clube é a mesma se sempre, ou seja, trabalhar no sentido de promover a modalidade e o nosso concelho. E da nossa parte essa promoção é feita sempre que competimos a nível internacional e sempre que organizamos eventos internacionais. Essa divulgação, e sobretudo a qualidade do equipamento desportivo, é a razão de, ao longo dos últimos anos, ser possível ver equipas e seleções de topo a estagiar em Lousada.

O que fazer para garantir o futuro do hóquei em Lousada e no país?

Trabalhar na divulgação do hóquei junto dos mais pequenos, captar atletas e tentar a introdução do hóquei nas escolas. Esta será a melhor forma de levar os mais novos a conhecerem o hóquei e a iniciarem a sua prática.
Sentem o apoio da comunidade e das entidades públicas e privadas?
Sentimos o apoio das entidades públicas, no caso o Município, que tem sempre as portas abertas para nos ajudar quando solicitados. Dos privados, já não podemos dizer o mesmo, porque infelizmente temos tido grandes dificuldades em obter patrocínios. Não queremos, no entanto, deixar de agradecer a duas empresas de Lousada que muito nos têm ajudado, sempre que solicitados: Casa dos Óculos e Expotime, SA.

Para finalizar, que mensagem gostaria de deixar aos sócios e simpatizantes?

Venham ao Estádio de Hóquei e, além de apoiarem os nossos atletas e equipas, desfrutem duma modalidade olímpica espetacular….

Comentários

Submeter Comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Artigos recentes

Resistência e Liberdade» obteve 3.º Prémio no Concurso «25 de Abril, um projeto de Liberdade»

Alunos e professores do AE Dr. Mário Fonseca, envolvidos no Projeto «Resistência e Liberdade»,...

Mostra coletiva de artistas revela vitalidade da arte lousadense

NA BIBLIOTECA MUNICIPAL E CAIS CULTURAL DE CAÍDE DE REI A diversidade de estilos e técnicas são...

Uma centena de jovens na Final Regional do Xadrez Escolar do Norte na Escola Secundária de Lousada

A Escola Secundária de Lousada acolheu, no dia 10 de maio, a final da modalidade de xadrez da...

Sacrifício, Liberdade e Memória da Revolução dos Cravos

No ano em que se comemora os cinquenta anos da Revolução dos Cravos importa mergulhar no passado...

Iluminar Lousada – Uma Luz Solidária para a Cooperativa Lousavidas

O Iluminar Lousada vai realizar-se no dia 18 de maio, e as velas solidárias estão já estão à...

Pimenta na censura dos outros, na minha liberdade é refresco

No passado dia 25 de Abril celebraram-se os 50 anos sobre a revolução que derrubou o regime...

Vinhos das Caves do Monte projetam Lousada no mundo

Freitas de Balteiro: O embrião de uma tradição Em 1947, nas terras férteis da freguesia de...

Caixa Agrícola rejeita lista de sócios candidatos a eleições: Lista avança com Providência Cautelar

A Caixa de Crédito Agrícola de Terras do Sousa, Ave, Basto e Tâmega (CCAM TSABT) está envolta em...

Um pioneiro da comunicação regional

Rafael Telmo da Silva Ferreira, professor e diretor da Valsousa TV Em setembro faz 25 anos que...

A Casa Nobre No Concelho de Lousada

Tipologias - XII | Capela II A capela podia ser levantada por forma a dar seguimento à fachada da...

Siga-nos nas redes sociais