por | 28 Mai, 2023 | Espaço Cidadania, Sociedade

Paulo Rocha: Lousadense comanda posto da GNR

O sargento-chefe António Paulo Magalhães da Rocha, de Nogueira, é o segundo lousadense a comandar o Posto Territorial da GNR do concelho de Lousada. O primeiro, há uma vintena de anos, foi Miguel Ribeiro Pacheco, de Santa Eulália da Ordem. Para o novo comandante, esse facto só tem vantagens para o desempenho do cargo. Nesta entrevista a O Louzadense refere que Lousada é um concelho “bom para criar uma família em segurança”.

O atual comandante, Paulo Rocha, sucedeu a Paulo Martins Luís (de Castelo Branco), à frente dos desígnios da GNR de Lousada. Até chegar a este estádio da sua carreira, o militar lousadense (natural de Nogueira) frequentou o curso de Guardas, após o que foi colocado em duas companhias de guarnição do antigo Regimento de Infantaria em Lisboa. Posteriormente, já com o posto de Cabo foi colocado no Posto Territorial de Paços de Ferreira. Com a frequência do curso de sargentos, seguiu-se a colocação no Posto de Lousada, Freamunde, Valença, Póvoa do Varzim e novamente em Paços de Ferreira. Está desde setembro de 2022 a comandar o Posto de Lousada.

Segundo o próprio, “a motivação para seguir esta carreira, veio da apetência pelo serviço militar, numa primeira fase no regime de voluntariado no exército e posteriormente na GNR em regime permanente”.

Da importância que tem ser comandante do posto da GNR da sua terra natal Paulo Rocha considera que só tem vantagens: “a importância que dou ao estar colocado num posto da terra natal, e mesma que dei em todas as outras colocações, ou seja, cumprir a missão que me foi confiada pelo comando da Guarda e corresponder às expetativas da comunidade onde o posto está inserido”. Contudo, salienta que “sendo o posto da terra natal é intrínseco um maior empenho, mas isso faz parte da natureza humana, está subjacente no inconsciente”.

Ainda sobre esta temática Paulo Rocha destaca: “não me sinto condicionado em nada e milita a favor o facto de conhecer bem a zona de ação e os costumes da comunidade”.

Concelho seguro

Tem uma opinião positiva sobre o concelho de Lousada em questões de segurança:

“em relação à criminalidade em geral, verifica-se que Lousada é um concelho seguro, bom para se criar uma família em segurança, no entanto não é uma ilha e por tal a criminalidade registada está em linha com a dos concelhos limítrofes”.

O comandante refere também que “apesar de os números não serem preocupantes é intenção do comando da Guarda trabalhar diariamente para que os números desçam em todo o território sob a sua alçada”.

Muito se tem falado atualmente a nível nacional e regional do fenómeno do tráfico de droga. Essa questão merece a sua maior atenção: “quanto a este fenómeno, pode-se dividir em dois grupos, o grande tráfico e o consumo/pequeno tráfico, o primeiro não disponho de números por ter competência na investigação outro órgão de polícia criminal, quanto ao restante por vezes existe uma linha ténue entre consumo e o tráfico devido às quantidades de produto estupefaciente portado pelos intervenientes”.

Paulo Rocha explica que “nesta área, e mais uma vez, Lousada está em linha com o que se passa na sub-região Tâmega e Sousa, não são números altos, por vezes existe um pico, mas isso deve se à proatividade dos militares da Guarda na deteção dos consumidores em infração”.

Ainda assim, o militar entende que “sente-se que o país tem de fazer um longo caminho no combate a esta problemática que deve começar desde logo na educação das nossas crianças e jovens”.

Recursos possíveis e não ideais

No que toca ao contingente da GNR de Lousada, ao edifício e ao parque de viaturas, perguntamos se há lacunas, ao que respondeu: “os meios materiais e humanos que estão ao dispor do posto de Lousada, são os possíveis serem disponibilizados pela Guarda face a conjuntura do país”. No entanto, o comandante sublinha que “o importante não é o que se tem, mas sim a forma como se gere e rentabiliza o que existe, neste sentido, com o que de facto existe é possível prestar um bom serviço à comunidade”, acrescentou.

Como comandante do posto de Lousada é solicitado a colaborar em diversos organismos e instituições locais, nomeadamente na Comissão de Proteção de Crianças e Jovens. Relativamente à relação com as entidades locais “ultrapassa o mero relacionamento institucional, de facto em Lousada existe uma conjugação de esforços para que o serviço público prestado à comunidade seja o melhor possível”.

Paulo Rocha refere como exemplo disso a “prestimosa colaboração do município em resolver pequenas reparações de avarias que poderiam afetar o normal funcionamento do posto, apesar de não ter essa obrigação, salientando ainda o facto do executivo em funções se disponibilizar em colaborar com o posto para que os munícipes de Lousada se sintam seguros e aumente a qualidade de vida de quem escolheu este concelho para viver”.

Comentários

Submeter Comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Artigos recentes

“Toda a glória do mundo é transitória”

JORGE NETO, ADVOGADO E POLÍTICO O lousadense Jorge Manuel Ferraz de Freitas Neto, de 67 anos, é um...

Associação dos Voluntários de Caíde de Rei Celebra 34.º Aniversário com Evento Memorável

A Associação dos Voluntários de Caíde de Rei comemorou, ontem, o seu 34.º aniversário com uma...

Queixas ambientais morrem num emaranhado de burocracias e “procedimentos duvidosos”

A (DES)ORDEM NO RIO MESIO (PARTE 2) Esta é a segunda parte da reportagem d'O Louzadense sobre um...

AD Lousada não se vai coligar com SAD Lank

FEDERAÇÃO NÃO AUTORIZA O “CASAMENTO” Estava tudo bem encaminhado entre as partes para que a junção...

Editorial 125 | O Gestor de Redes Sociais

Numa terra longínqua onde os emojis governam e os likes são moedas de troca, vive o temido Gestor...

LOUSADA RECEBE MAIOR FESTIVAL DE DRIFT DO PAÍS

O Eurocircuito da Costilha em Lousada será palco no final do mês da 11ª edição do Encontro...

Xadrez do Lousada Voleibol Clube com excelentes resultados no fim de semana

Esteban Dario Caro, xadrezista da secção de xadrez do Lousada Voleibol Clube venceu o VII Torneio...

Oficinoscópio assinala 10 anos de cinema de animação

No dia 10 de julho foi apresentado o livro Oficinoscópio, relativo aos 10 anos de Oficinas de...

AUTOR VISITA ALDAF E PROMOVE MOMENTO DE CULTURA PARA PESSOAS COM DEFICIÊNCIA EM LOUSADA

No passado dia 13 de junho a Associação Lousadense dos Deficientes, dos seus Amigos e Familiares...

Desvendando os Traços Antissociais

Os traços antissociais são confundidos por vários sintomas na linguagem coloquial, assim irei...

Siga-nos nas redes sociais