por | 14 Dez, 2023 | Opinião, Uncategorized

António Costa amarrou o seu destino às escolhas que fez

A situação política nacional é deveras preocupante. E será tanto pior se se vier a concluir que um governo com maioria absoluta caiu com base numa atuação errada por parte do ministério público. A juntar-se a tudo isto, uma suspeita que impende sobre a conduta do Presidente da República, no caso das gémeas, não ajuda em nada. Tudo o que tem sucedido só favorece um partido – o Chega.

Quanto à dissolução da AR, o Presidente da República não tinha outra hipótese. O parágrafo do comunicado da parte do Ministério Público a isso obrigou. Lamentavelmente, creio que o primeiro-ministro e o seu governo caíram porque António Costa amarrou o seu destino às escolhas que fez. Atendendo ao facto de que, até Março, creio que o Ministério Público, para se defender dos erros grosseiros que já se provou ter cometido, irá deixar sair mais “notícias” sobre os casos em causa, temo que a indignação possa subir de tom. Por outro lado, porque o PSD tem um líder fraco que não fez coligações pré eleitorais que excluam o Chega de vez e para lá de qualquer dúvida, o eleitor moderado de centro direita pode assustar-se.

Creio que ganhará Pedro Nuno Santos as eleições internas do PS, mas não antevejo que, mesmo que o PS ganhe as eleições, os partidos da antiga geringonça queiram alinhar só porque sim. Isso custou-lhes uma parte do seu eleitorado. Pode o PS ganhar as eleições, mas há a possibilidade de maioria de deputados à direita. Seja como for, esperemos que não seja o caminho para uma outra dissolução do Parlamento. Os tempos da estabilidade parecem ter terminado. Poderemos enfrentar ciclos governativos de curta duração e com apoios cuja geometria pode variar.

Ricardo Mesquita

Jurista

Comentários

Submeter Comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Artigos recentes

Os pais tiveram receio da sua escolha mas deram todo o apoio

LUÍS MELO, ARTISTA PLÁSTICO E PROFESSOR DE ARTES O curso de Artes da Escola Secundária de Lousada...

Não se tratou apenas de guerra – a nostalgia dos combatentes em África

LOUSADENSES NO ULTRAMAR (PARTE 2) Nem tudo foi mau, dizem os que tentam perspetivar algo de...

Resistência e Liberdade» obteve 3.º Prémio no Concurso «25 de Abril, um projeto de Liberdade»

Alunos e professores do AE Dr. Mário Fonseca, envolvidos no Projeto «Resistência e Liberdade»,...

Mostra coletiva de artistas revela vitalidade da arte lousadense

NA BIBLIOTECA MUNICIPAL E CAIS CULTURAL DE CAÍDE DE REI A diversidade de estilos e técnicas são...

Uma centena de jovens na Final Regional do Xadrez Escolar do Norte na Escola Secundária de Lousada

A Escola Secundária de Lousada acolheu, no dia 10 de maio, a final da modalidade de xadrez da...

Sacrifício, Liberdade e Memória da Revolução dos Cravos

No ano em que se comemora os cinquenta anos da Revolução dos Cravos importa mergulhar no passado...

Iluminar Lousada – Uma Luz Solidária para a Cooperativa Lousavidas

O Iluminar Lousada vai realizar-se no dia 18 de maio, e as velas solidárias estão já estão à...

Pimenta na censura dos outros, na minha liberdade é refresco

No passado dia 25 de Abril celebraram-se os 50 anos sobre a revolução que derrubou o regime...

Vinhos das Caves do Monte projetam Lousada no mundo

Freitas de Balteiro: O embrião de uma tradição Em 1947, nas terras férteis da freguesia de...

Caixa Agrícola rejeita lista de sócios candidatos a eleições: Lista avança com Providência Cautelar

A Caixa de Crédito Agrícola de Terras do Sousa, Ave, Basto e Tâmega (CCAM TSABT) está envolta em...

Siga-nos nas redes sociais